3 blogueiras + 1 desafio = aprimorar a cinefilia.
DVD, sofá e pipoca,
formando cinéfilas melhores!

sábado, 30 de novembro de 2013

Deu vontade de rever o remake!

Correndo o risco de soar repetitiva, o ritmo é outro. Os expectadores de 1969, quando Bravura Indômita foi lançando, estavam habituados a outro cinema, que como qualquer obra de arte muda, e evolui (espero), com o tempo. E nesses mais de 40 anos muita coisa mudou. Logo, não é de se admirar, que eu tenha ficado com vontade de assistir ao remake de 2010. O que só prova que a história é boa, independente da época em que é contada.

Mattie Ross (Kim Darby) é uma menina decidida e esforçada. Feliz ou infelizmente, ela não puxou ao pai, não tão esperto, ele acaba morto por um homem que ajudava. Buscando justiça a moça contrata o nada recomendado xerife Reuben J. "Rooster" Cogburn (John Wayne) para capturar o assassino de seu pai. É claro, que a garota bate o pé para acompanha-lo na missão em território indígena. Outro interessado no matador, e na recompensa por sua cabeça, é o sargento La Boeuf (Glen Campbell) que se une à dupla na jornada.

O problema é que esta jornada demora a ter início, e precisamos assistir Mattie rodar a cidade resolvendo problemas com o cadáver, seus pertences, seus contatos, e convencendo Cogburn em longos diálogos antes do filme realmente começar. Some-se se aí a compulsão da menina em dizer sem hesitar para qualquer um que passe, seu nome, de onde veio, para onde vai e porque. Nada esperto entregar o ouro de cara, mas para ela parece que funciona. 

E então a busca começa, e aí fica interessante. É verdade o ritmo oscilante, que alterna entre ação e longas pausas pode não agradar alguns. Entretanto em momento algum soa como um equívoco, é apenas, o estilo da época.

Me desculpem os fãs de Wayne, mas seu mal alado xerife Cogburn me parece inofensivo durante toda a proteção. Não que ele não possa derrubar seus adversários, mas em nenhum momento acredito que ele vá fazer mal, ou ainda deixar Mattie correr algum perigo. Ainda assim, a química de opostos entre os dois é interessante e funciona. Especialmente se você souber que Wayne detestava Darby e os dois não se falavam fora das câmeras.

E por falar em Darby, sua mocinha impetuosa com cabelo "joãozinho", soa mais como uma mocinha teimosa  e arrogante que como alguém com desejo de vingança. O figurino, ao estilo "Maria Von Trapp", não ajuda muito na hora de acreditar que essa menina não vai fazer apenas besteiras pelo caminho. 

O outro componente deste trio, La Boeuf,  poderia servir de contraponto à rudeza de Cogburn. Entretanto, como essa rudeza não é tão aparente, mesmo com o tapa-olho e a bebedeira, o sargento parece só estar lá porque precisavam fazer número.

Mas, não engane pelos parágrafos acima. A saga da mocinha determinada e do cavaleiro solitário é um tradicional enredo western bem executado e merece sua atenção. Contudo se você não é fã do estilo, melhor optar pelo remake.

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Filmografia John Wayne

Como diretor - 6 títulos
1971Jake Grandão (uncredited)
1968 Os Boinas Verdes
1961 Os Comancheros (uncredited)
1960 O Álamo
1955 Rota Sangrenta (uncredited)

Como ator - 179 títulos
1976 O Último Pistoleiro
1975 Justiceiro Implacável
1975 A Morte Segue Seus Passos
1974 Maude (TV Series)
1974 McQ - Um Detetive Acima da Lei
1973 Cahill, Xerife do Oeste
1973 Os Chacais do Oeste
1972 Os Cowboys
1971 Jake Grandão
1970 Rio Lobo
1970 Chisum
1969 Jamais Foram Vencidos
1969 Bravura Indômita
1968 Heróis do Inferno
1968 Os Boinas Verdes
1967 Gigantes em Luta
1967 The Beverly Hillbillies (TV Series)
1966 El Dorado
1966 The Lucy Show (TV Series)
1966 Magic Mansion (TV Series)
1966 À Sombra de um Gigante
1965 Os Filhos de Katie Elder
1965 A Primeira Vitória
1965 A Maior História de Todos os Tempos
1964 O Mundo do Circo
1963 Quando um Homem É Homem
1963 O Aventureiro do Pacífico
1963 The Dick Powell Show (TV Series)
1962 A Conquista do Oeste
1962 Alcoa Premiere (TV Series)
1962 O Mais Longo dos Dias
1962 Hatari!
1962 O Homem que Matou o Facínora
1961 Os Comancheros
1960 Caravana (TV Series)
1960 Fúria no Alaska
1960 O Álamo
1959 Marcha de Heróis
1959 Onde Começa o Inferno
1958 O Bárbaro e a Geisha
1958 A Vênus de Carne
1957 A Lenda dos Desaparecidos
1957 Estradas do Inferno
1957 Asas de Águias
1955-1956 Screen Directors Playhouse (TV Series)
1956 Rastros de Ódio
1956 Sangue de Bárbaros
1955 Rota Sangrenta
1955 Mares Violentos
1954 Um Fio de Esperança
1953 Caminhos Ásperos
1953 Geleiras do Inferno
1953 Atalhos do Destino
1953 Three Lives (Short)
1952 Miracle in Motion (Short)
1952 Uma Aventura Perigosa
1952 Depois do Vendaval
1951 Horizonte de Glórias
1951 Águas Traiçoeiras
1950 Rio Bravo
1949 Iwo Jima - O Portal da Glória
1949 Legião Invencível
1949 Estranha Caravana
1948 O Rasto da Bruxa Vermelha
1948 O Céu Mandou Alguém
1948 Rio Vermelho
1948 Sangue de Heróis
1947 Inferno nos Trópicos
1947 O Anjo e o Malvado
1946 Romance e Fantasia
1945 Fomos os Sacrificados
1945 Dakota
1945 Espírito Indomável
1945 Um Dia Voltarei
1944 Adorável Inimiga
1944 Romance dos Sete Mares
1943 Quando a Mulher se Atreve
1943 Arrisca-te, Mulher!
1942 Uma Aventura em Paris
1942 Ódio e Paixão
1942 Tigres Voadores
1942 Caminho Fatal
1942 Indomável
1942 Vendaval de Paixões
1942 Dama por uma Noite
1941 O Morro dos Maus Espíritos
1941 O Carnaval da Vida
1941 O Traído
1940 A Pecadora
1940 A Longa Viagem de Volta
1940 Fugitivos do Terror
1940 Comando Negro
1939 O Primeiro Rebelde
1939 New Frontier
1939 Wyoming Outlaw
1939 Three Texas Steers
1939 The Night Riders
1939 No Tempo das Diligências
1938 Red River Range
1938 Santa Fe Stampede
1938 Overland Stage Raiders
1938 Pals of the Saddle
1937 Trunfos na Mesa
1937 Adventure's End
1937 Ídolo da Torcida
1937 I Cover the War
1937 Pequeno Inferno
1936 Conflitos
1936 Sentinelas do Mar
1936 Winds of the Wasteland
1936 A Trilha Solitária
1936 King of the Pecos
1936 Ordem a Bala
1936 O Regimento Sinistro
1935 País sem Leis
1935 Terras Virgens
1935 Da Derrota à Vitória
1935 O Vale do Paraíso
1935 A Difícil Vingança
1935 Uma Trilha no Deserto
1935 Rainbow Valley
1935 Terror no Texas
1934 Sob o Sol do Arizona
1934 Fronteiras Sem Lei
1934 Fronteira da Lei
1934 O Caçador de Xerifes
1934 A Ferro e Fogo
1934 O Homem de Utah
1934 O Homem de Sacramento
1934 O Cavaleiro da Justiça
1934 Sorte de Verdade
1933 Na Trilha da Verdade
1933 College Coach
1933 O Cavaleiro do Destino
1933 The Man from Monterey
1933 Serpentes de Luxo
1933 His Private Secretary
1933 Viver na Morte
1933 Somewhere in Sonora
1933 Atração dos Ares
1933 Os três Mosqueteiros
1933 A Trilha do Telégrafo
1932 Ouro Mal Assombrado
1932 The Big Stampede
1932 That's My Boy
1932 Pena de Talião
1932 The Hollywood Handicap (Short)
1932 O Expresso da Aventura
1932 Lady and Gent
1932 Lei da Coragem
1932 Cavaleiro do Texas
1932 The Shadow of the Eagle
1932 Running Hollywood (Short)
1932 The Voice of Hollywood No. 13 (Second Series) (Short)
1931 Maker of Men
1931 Estância em Guerra
1931 O Sedutor
1931 Assim São os Homens
1931 Three Girls Lost
1931 Girls Demand Excitement
1930 A Grande Jornada
1930 Cheer Up and Smile
1930 Romance das Selvas
1930 Galanteador Audaz
1930 Homens Sem Mulheres
1929 Gol! Gol!
1929 Em Continência
1929 Letra e Música
1929 A Guarda Negra (uncredited)
1929 Speakeasy (uncredited)
1928 A Arca de Noé (uncredited)
1928 Justiça do Amor (uncredited)
1928 Quatro Filhos (uncredited)
1928 Minha Mãe (uncredited)
1927 Trunfo às Avessas (uncredited)
1927 Annie Laurie (uncredited)
1926 A Grande Emboscada (uncredited)
1926 O Cavalheiro dos Amores (uncredited)
1926 Mocidade Esportiva (uncredited)

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Prêmios de Bravura Indômita

Oscar
  • melhor ator (John Wayne).
Indicado na categoria de melhor canção original (True Grit).

Globo de Ouro
  •  melhor ator - drama (John Wayne).
Indicado nas categorias de melhor canção original (True Grit) e melhor revelação masculina (Glen Campbell).

BAFTA
Indicado na categoria de melhor revelação feminina (Kim Darby).

Laurel Awards
  • General Entertainment
  • Action Performance - John Wayne
3rd place - Golden Laurel Male New Face (Glen Campbell), Female New Face (Kim Darby)

National Board of Review, USA
  • Top Ten Films

Western Heritage Awards
  • Theatrical Motion Picture

Writers Guild of America
Nomeado para Best Drama Adapted from Another Medium - Marguerite Roberts

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Bravura Indômita (o remake)

Então caro leitor, está com a sensação de que assistiu outro filme com este título? Pois, seus instintos não tem enganaram. Em 2010 uma nova adaptação do livro de Charles Portis, apresentou a saga de Mattie para uma nova geração.

Bravura Indômita
(True Grit - 2010 - cor - 110)
Direção: Joel e Ethan Coen
Roteiro: Joel Coen, Ethan Coen
Elenco: Jeff Bridges, Hailee Steinfeld, Matt Damon, Josh Brolin, Barry Pepper, Paul Rae, Nicholas Sadler, Bruce Green, Joe Stevens, Dakin Matthews, Elizabeth Marvel, Leon Russom, Jake Walker, Peter Leung, Don Pirl, Jarlath Conroy.

O pai de Mattie Ross (Hailee Steinfeld), de apenas 14 anos, foi assassinado a sangue frio por Tom Shaney (Josh Brolin). Em busca de vingança, ela resolve contratar um xerife beberrão, Reuben J. Cogburn (Jeff Bridges), para ir atrás dele. Inicialmente ele recusa a oferta, mas como precisa de dinheiro acaba aceitando. Mattie exige ir junto com Reuben, o que não lhe agrada. Para capturar Shaney eles precisam entrar em território indígena e encontrá-lo antes de La Boeuf (Matt Damon), um policial do Texas que está à sua procura devido ao assassinato de outro homem.

Indicado à 10 Oscar, venceu 5 deles.

terça-feira, 26 de novembro de 2013

Curiosidades de Bravura Indômita

Em Portugal o filme ganhou o título de Velha "Raposa".

John Wayne tinha inicialmente prometido o papel de Mattie Ross a sua filha Aissa Wayne, mas o diretor Henry Hathaway recusou-se a lançar-la.

Por insistência de John Wayne foi ele mesmo, e não um dublê, quem realizou a cena a cavalo em que este pula uma cerca.

Baseado no livro "True Grit" de Charles Portis

Marguerite Roberts era uma escritora anteriormente na lista negra por causa de sua política de extrema esquerda extrema. John Wayne, que tinha a política de extrema direita, sabia disso antes de ler o roteiro. Ele leu e gostou. Ele ignorou as pessoas que disseram que ele não deve trabalhar em qualquer coisa que um escritor "lista negra", escreveu.

Esconderijo da quadrilha caverna (camas parcialmente intactas), ninho de cobras, e vários rochas falsas usadas na produção ainda podem ser vistos em uma propriedade privada fora Ouray, Colorado.

O personagem de Mattie deveria ter 14 anos. Kim Darby tinha 22, quando o filme foi feito.

O personagem de Rooster Cogburn deveria ter em torno de quarenta anos. John Wayne tinha 61, quando o filme foi feito.

John Wayne estava desapontado com a escalação de Kim Darby como Mattie Ross, e os dois quase não falavam longe das câmeras.

Apesar de seu sucesso comercial, John Wayne não estava satisfeito com o filme terminado. Ele não gostava muito o desempenho de Kim Darby, e disse a jornalistas que ele estrelou em muito melhores filmes como No Tempo das Diligencias. Na cerimônia do Oscar em 9 de abril de 1970, Wayne disse que Richard Burton deveria ter ganhado o Oscar, por sua interpretação do rei Henrique VIII em Ana dos Mil Dias, ao invés dele.

Último filme do ator veterano Stuart Randall.

segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Bravura Indômita

Você escolheu e o filme que encerra nosso mês John Wayne é tão famoso que já até ganhou remake.
True Grit
1969 - EUA
128 min, cor
western

Direção: Henry Hathaway

Roteiro: Marguerite Roberts

Música: Elmer Bernstein

Elenco: John Wayne, Glen Campbell, Kim Darby, Jeremy Slate, Robert Duvall, Dennis Hopper, Alfred Ryder, Strother Martin, Jeff Corey, Ron Soble, John Fiedler, James Westerfield, Donald Woods

Baseado em livro homônimo de Charles Portis Vencedor de 1 Oscar. Ganhou um remake em 2010.


sábado, 23 de novembro de 2013

O ritmo é outro!

Assim que chega à cidade de Shinbone, Hallie (Vera Miles), aponta o quão diferente a cidade está desde a chegada da ferrovia. A velocidade dos trens trouxe outro ritmo à cidadezinha do velho-oeste em que ela vivera quando jovem. Assim como os anos, agregaram uma novo ritmo aos expectadores de cinema. Talvez por isso O Homem que Matou Facínora não tenha me agradado tanto quanto deveria.
Não se engane. O filme é bom, entretanto alguns momentos que antes eram construção de personagem, hoje soa como enrolação desnecessária. E não vemos a hora do tal Facínora ser morto e o filme dizer à que veio. Mas já que é preciso construir a história antes...

Apresentada em forma de um grande flashback, contado à imprensa por Ransom Stoddard (Jamies Stewart), durante o funeral de Tom Doniphon (John Wayne), a história logo nos apresenta um tradicional assalto à diligência. Nela o entusiasmado recém-formado advogado Ranson leva uma surra de Liberty Vallence, o tal Facínora. Resgatado e levado para a cidade mais próxima, ele acaba por se estabelecer ali. Ajuda no restaurante das pessoas que o acolheram, no jornal, dá aulas à população, mas apesar de sua natureza pacata vive incomodado com a liberdade de Liberty na região. Ou talvez por descobrir que as promessas de futuro no selvagem Oeste eram mentira.

Ele bem que tenta melhorar as coisas com "lei e ordem", mas as coisas por lá não funcionam assim. É o mais rápido no gatilho quem dá as cartas, Tom Doniphon tem todo potencial para ser este cara, e livrar seus conterrâneos de Valence. Por algum motivo ele parece não estar muito interessado nisso. Mas está interessado por Hallie, é claro que a moça só tem olhos para o recém-chegado advogado.

Por mais improvável que pareça, Tom e Ranson unem forças para tornar Shinbone um lugar melhor. Apesar de disputarem a mesma garota, e terem conceitos de justiça opostos. Fazer justiça, seja como for, parece ser mais forte que suas diferenças. É nessa relação seus resultados, e consequências que a lenda do homem que matou o tal Facínora que o longa se baseia.

O malvado Liberty Valence, que em terras tupiniquins atende pela alcunha de Facínora

Achou um tanto demorado para explicar de onde o título saiu? (aliais palmas para a escolha do título nacional "Facínora" é a descrição perfeita para o muito malvado personagem que Lee Marvin encarna) Agora imagine tudo isso acompanhado dos tradicionais personagens secundários caricatos como o xerife bonachão, o negro grandalhão obediente. Das estranhas normas eleitorais "estadunidenses", e claro de típicas brigas de saloon. É muita coisa!

Entretanto, se você conseguir não cochilar no meio de tantas coisas, que até interferem na trama principal, mas não são exatamente essenciais, vai descobrir uma crítica sobre a verdade e o mito. E um pouco de desconstrução do próprio gênero que Ford e Wayne ajudaram a formar. A mocinha não é nem um pouco vítima, o cavaleiro solitário é ótimo em fazer amigos, o fracote e pacífico homem da lei é o grande herói, ou é isso que querem que você acredite. É aí que moram os louros da produção, que merece sim um esforço de quem não é fã do gênero, para alcançar o surpreendente (mas nem tanto*) final.

O Homem que Matou Facínora é uma lenda do gênero, mas é fato que os expectadores de hoje podem não enxergar suas virtudes ou acompanhar o seu ritmo. Mas, tudo bem! Afinal, ainda podemos aplicar a mensagem que o longa oferece: Quando a lenda se torna fato, imprima-se a lenda

*Não sei se é referência de propósito ou acidente, mas só conseguia me lembrar de Lisbela e o Prisioneiro, ao final do filme.

quinta-feira, 21 de novembro de 2013

Prêmios de O homem que matou Fascínora

Oscar
Nomeado para melhor figurino preto e branco.

Laurel Awards
  • Top Action Performance - John Wayne
Nomeado para Top Action Drama (5th place), Top Action Performance (Lee Marvin - 4th place)

Western Heritage Awards
  • Theatrical Motion Picture

terça-feira, 19 de novembro de 2013

Curiosidades de O homem que Matou Facínora

Este foi o último filme de John Ford em preto e branco.

Várias razões foram apresentadas para o filme ser em preto e branco. John Ford afirmou certa vez que aumentaria a tensão, mas outras pessoas envolvidas com a produção, disseram que a Paramount estava cortando custos, razão pela qual o filme foi rodado em estúdios de som . Sem as restrições orçamentárias, a Ford teria estado em Monument Valley usando  Technicolor. Também tem foi sugerido que uma vez que tanto John Wayne quanto James Stewart estavam vivendo personagens 30 anos mais jovens do que eles (Wayne tinha 54 anos quando o filme foi filmado no outono de 1961 e Stewart tinha 53 anos), o filme precisava ser em preto e branco, porque eles nunca teriam convencido em cores. A diferença de idade era particularmente visível no caso de Stewart, já que ele estava fazendo um jovem advogado que tinha acabado de se formar na faculdade de Direito.

O.Z. Whitehead, que interpretava um adolescente, tinha na verdade 50 anos.

Algumas das cenas iniciais do filme, especialmente no restaurante, foram aparentemente concebidas por John Ford como um tributo zombeteiro para os filmes de seu amigo e companheiro de diretor, Howard Hawks.

Último filme de Stuart Holmes, Buddy Roosevelt, Jack Perrin, Blackie Whiteford e da atriz de cinema mudo Helen Gibson.

Primeira ocasião em que John Wayne chama alguém de "Pilgrim".

Em cartazes promocionais do filme, James Stewart aparece creditado primeiro, no entanto, no próprio filme, cartão de tela de John Wayne aparece em primeiro lugar, seguido por Stewart. Além disso, o estúdio ordenou que todos os gerentes de teatro para colocar o nome de Wayne antes de Stewart em suas marquises.

segunda-feira, 18 de novembro de 2013

O homem que Matou Facínora

Outra famosa parceria Ford e Wayne.
The Man Who Shot Liberty Valance
1962 - EUA
123 min, preto e branco
western

Direção: John Ford

Roteiro: John Ford, Willis Goldbeck

Elenco: James Stewart, John Wayne, Vera Miles, Lee Marvin, Edmond O'Brien, Andy Devine, Ken Murray, John Carradine, Jeanette Nolan, John Qualen, Willis Bouchey, Carleton Young, Woody Strode, Denver Pyle, Strother Martin, Lee Van Cleef, Robert F. Simon, O.Z. Whitehead, Paul Birch, Joseph Hoover, Helen Gibson (não-creditada)

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

Prêmios de No Tempo das Diligências

Oscar
  • Best Actor in a Supporting Role (Thomas Mitchell)
  • Best Music
Indicado para Best Picture, Best Director, Best Cinematography (Black-and-White), Best Art Direction, Best Film Editing

National Board of Review
  • Top Ten Films

New York Film Critics Circle Awards
  • Best Director

terça-feira, 12 de novembro de 2013

Curiosidades de No Tempo das Diligências

Este foi o primeiro de muitos filmes que John Ford filmou em Monument Valley, Arizona. Outros foram: Paixão dos Fortes, Sangue de Heróis, Legião Invencível, Caravana de Bravos, Rio Bravo, Rastros de Ódio, de e Audazes e Malditos seu último ocidental, Crepúsculo de Uma Raça.

Primeiro faroeste falado de John Ford, e primeiro filme do diretor nesse gênero em 13 anos. Westerns tinham sido abandonados com a chegada do som, pois era complicado para gravar nas locações.

A primeira de muitas colaborações entre John Ford e John Wayne.

Quando os atores do filme estavam sendo escalados, John Ford pressionou para que John Wayne entrasse, mas o produtor Walter Wanger negou. Foi apenas depois da persistência de Ford que Wanger finalmente cedeu. As reservas de Wanger eram baseadas na ligação de Wayne com filmes "B", categoria que ele ficou durante um tempo sem mostrar seu talento. Além disso, seu primeiro papel principal sério foi em A Grande Jornada (1930), que foi um fracasso de bilheteria.

Em 1939 não havia nenhuma estrada pavimentada através de
Monument Valley, daí a razão pela qual não tinha sido utilizado como um local de filme antes (não era pavimentada até a década de 1950). Harry Goulding, que dirigia um posto de comércio lá, tinha ouvido dizer que John Ford estava planejando um faroeste de grande orçamento então ele viajou para Hollywood, armado com mais de 100 fotografias, e ameaçou acampar na porta de Ford até que o diretor o visse. Ford o viu e quase imediatamente decidiu por filmar no local, principalmente quando ele percebeu que seu afastamento seria libertá-lo da interferência do estúdio.

John Ford amou tanto o local Monument Valley que o  percurso da diligência atravessa o vale três vezes.

Todos os interiores do filme têm tetos, uma prática incomum na época para as filmagens de estúdio. Os tetos foram incluídos para criar um efeito claustrofóbico em contraponto completa para a vasta extensão aberta de Monument Valley.

Índios Navajo locais interpretaram os Apaches. A produção do filme foi um grande impulso econômico para a população pobre local, dando emprego a centenas de moradores como figurantes e trabalhadores manuais.

Hosteen Tso, um xamã local, prometeu John Ford exatamente o tipo de formações de nuvens que ele queria. Eles apareceram devidamente.

Perguntado por que, na cena de perseguição do clímax, os índios não simplesmente atiram nos cavalos para parar a diligência, o diretor John Ford respondeu: "Porque isso teria sido o fim do filme."

Embora Louis Gruenberg receba crédito de tela pela trilha sonora, a sua contribuição não foi utilizada e seu nome foi omitido para a indicação ao Oscar.

Retratado em um dos quatro 25 US ¢ selos postais comemorativos emitidos 23 de março de 1990 homenageando filmes clássicos lançados em 1939. Os selos traziam os filmes No Tempo das Diligencias, Beau Geste, O Mágico de Oz e ... E o Vento Levou.

Orson Welles assistiu esse filme em particular cerca de 40 vezes enquanto estava fazendo Cidadão Kane.

Akira Kurosawa afirmou que Stagecoach era um de seus filmes favoritos e o influenciou quando fez os Sete Samurais (Shichinin no samurai) em 1954.

"Oscar Theater" transmitiu uma adaptação de rádio 30 minutos do filme em 04 de maio de 1946 com Claire Trevor reprisando seu papel no cinema.

Em 1966 foi feito um remake com Ann-Margret e Bing Crosby.

Em 1986 foi feito uma versão para a TV com Willie Nelson, Kris Kristofferson e Johnny Cash.

segunda-feira, 11 de novembro de 2013

No Tempo das Diligências

O longa que levou John Wayne ao estrelato internacional.

Stagecoach
1939 - EUA
96 min, 9b
western

Direção: John Ford

Roteiro: Dudley Nichols, Ben Hecht

Elenco: Claire Trevor, John Wayn, Andy Devine, John Carradine, Thomas Mitchell, Louise Platt, George Bancroft, Donald Meek, Berton Churchill, Tim Holt, Tom Tyler, Yakima Canutt.

Vencedor de 2 Oscar. Adaptação de "The Stage to Lordsburg", conto de Ernest Haycox.

domingo, 10 de novembro de 2013

Uma pseudo-resenha de O Álamo

Sim, esta é uma pseudo-resenha. Não acho nada honesto chamar de crítica ou resenha um texto que escrevi após assistir cerca de 40% do filme em questão, o que se tratando de um filme de quase três horas, é tempo à beça. Mas, é assim que decidir expressar minha experiência com O Álamo.

Primeiro filme dirigido por John Wayne conta a história da conquista do Álamo (dã) pelos estadunidenses, derrotando os mexicanos. Normal, em se tratando de Hollywood estamos mais que acostumados em acompanhar fatos históricos que não são exatamente nossos.

Contudo, passa-se mais de uma hora antes que o filme diga a que veio. Primeiro vamos conhecer o cotidiano, os ideais políticos e uma dezena de personagens dos quais dificilmente conseguiremos lembrar o nome. Mesmo o Coronel Davy Crockett do protagonista/diretor Wayne demora meia hora para dar as caras.

Com a falta de foco, e ritmo equivocado (leia-se devagar quase parando), fica difícil se interessar pela trama principal. Personagens caricatos, e lutas que já vimos à exaustão em filmes da época não ajudam. Para encerrar com chave de ouro, foi muito difícil encontrar uma cópia do longa, e esta decidiu sair de sincronia totalmente (imagem, som e legendas), depois de mais de uma hora de projeção.

O resultado? Como expectadora "não tô nem aí" pra quem conquistou o Álamo a menos que Antonio Bandeiras e sua máscara de zorro estejam envolvidos. Como não é o caso, faço qualquer coisa para não me submeter a mais um segundo desta projeção. Incluindo abandona-la antes da metade (me contem se no final melhora), e escrever uma pseudo-resenha, apenas para cumprir minha parte deste desafio cinéfilo, e não precisar encarar novamente este longa.

sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Já vimos: Rastros de Ódio

Com quase quatro anos de blog, não é de se admirar que um dos ícones do bang-bang estadunidense já tenha passado por aqui. Sim! Já assistimos um dos clássicos de John Wayne. Confira o que rolou por aqui na semana dedicada à Rastros de Ódio.


Continue acompanhando nosso mês John Wayne.

quinta-feira, 7 de novembro de 2013

Mês John Wayne: os concorrentes

Conquistar o Oeste Selvagem não é fácil, mesmo que seja através da sétima arte. Por isso precisamos da sua ajuda caro leitor! Pedimos encarecidamente que escolha o último longa dessa jornada votando em nossa enquete. Se estiver com dúvidas, descubra um pouco mais dos concorrentes neste post.


A Conquista do Oeste
(How the West Was Won, 1962)

A história dos primeiros desbravadores do Oeste americano é contada através da família Prescott. Vencedor de 3 Oscar e indicado a outras 5 categorias, incluindo Melhor Filme.


Onde começa o inferno
(Rio Bravo - 1952)

John T. Chance é o xerife de uma cidade pequena que tenta manter um preso dentro da cadeia, com a ajuda de dois companheiros, um bêbado e um idoso aleijado. O problema é que o preso é irmão de um poderoso rancheiro, que vai fazer de tudo para ajudar o irmão, inclusive matar quem estiver em seu caminho. É depois de uma morte que o xerife vai aceitar ajuda das pessoas que se ofereceram para lutar contra o pistoleiro da região.



Bravura Indômita
(True Grit - 1969)

Uma garota, Mattie Ross, contrata por 100 dólares um xerife caolho e beberrão, "Rooster" Cogburn, para que capture o assassino de seu pai. Ela exige ir junto na jornada, para ter certeza que a meta foi cumprida. Na perseguição eles acabam entrando em território índio, na intenção de alcançar o criminoso.

quarta-feira, 6 de novembro de 2013

Prêmios de O Álamo

Oscar
  • Best Sound
Indicado Best Picture, Best Actor in a Supporting Role (Chill Wills), Best Cinematography - Color, Best Film Editing, Best Music, Original Song, Best Music, Scoring of a Dramatic or Comedy Picture.

Globo de Ouro
  • Best Original Score

Laurel Awards
  • Top Action Drama
  • Top Action Performance (John Wayne)
  • Top Musical Score
3rd place - Top Male Supporting Performance (Chill Wills)

National Board of Review, USA
  • Top Ten Films

Western Heritage Awards
  • Theatrical Motion Picture

terça-feira, 5 de novembro de 2013

Curiosidades de O Álamo

Primeiro filme dirigido por John Wayne.

Filmado ao longo de de um período de 83 dias.

Foi banido no México.

John Wayne pretendia que este filme fosse uma alegoria da Guerra Fria dos EUA com a União Soviética.

O enorme cenário do Alamo levou dois anos para ser construído. O conjunto - agora chamado Alamo Village - já foi utilizado em mais de 100 outros Westerns. Atualmente é aberto ao público em Bracketville, Texas, onde há shows, lojas, e a maioria dos edifícios (incluindo o Fort Alamo) são abertos ao público diariamente.

As cenas de batalha épica envolveram 7.000 extras, 1.500 cavalos e 400 cabeças de gado longhorn texanos.

A trilha sonora de Dimitri Tiomkin do filme foi lançada em edições contínuas por quase 50 anos.

John Wayne era um fã de gravação de "Remember the Alamo", composta por Jane Bowers do Kingston Trio, e queria usar a música no filme. Quando, por várias razões, os direitos da canção não puderam ser obtidos Dimitri Tiomkin, que fez a trilha do o filme, e Paul Francis Webster escreveram a sua própria música para o filme, "As folhas verdes de verão".

A Queda do tenente Finn de seu cavalo foi acidental.

Richard Boone apareceu no primeiro dia de filmagem, ostentando uma barba cheia. Foi só então que lhe contara seu personagem geral Houston não tinha barba.

Durante a sequência de batalha, um dos canhões rolou sobre o pé de Laurence Harvey, quebrando-o no peito do pé. Ele continuou com a cena e acabou cuidado sozinho da lesão.

Apesar de ser um fabricante de dinheiro top-ten de 1960, e sua popularidade na Europa e no Japão, o filme não conseguiu recuperar seu enorme orçamento em seu lançamento inicial. John Wayne assumiu a enorme dívida para conseguir o terminar filme após United Artists se recusar a pagar pelo excesso de custos durante a produção. Apenas após a venda dos direitos de televisão, em 1971, que as dívidas pessoais de Wayne foram finalmente recompensados. Ele estreou na rede NBC dos EUA em setembro de 1971.

segunda-feira, 4 de novembro de 2013

O Álamo

Dirigido e protagonizado por Wayne.

The Alamo
1960 - EUA
202 min, colorido
western

Direção: Jonh Wayne

Roteiro: James Edward Grant

Elenco: John Wayne, Richard Widmark, Laurence Harvey, Frankie Avalon, Patrick Wayne, Linda Cristal, Joan O'Brien, Chill Wills, Joseph Calleia, Ken Curtis, Carlos Arruza, Jester Hairston, Veda Ann Borg, John Dierkes, Denver Pyle

Vencedor de 1 Oscar.

Mês John Wayne

Pense em um clássico do western. Agora diga o nome do ator principal. A possibilidade de que este nome seja do nosso homenageado do mês é bem grande.

John Wayne foi considerado o 16º ator mais importante da história do cinema, pela revista Empire. Ele também detém o recorde de 142 produções como um dos protagonistas, em seus 42 anos de carreira. A maioria delas, passadas no bom e velho oeste estadunidense.

Western, velho-oeste, oeste-selvagem, faroeste, bang-bang, seja lá como você chame. Prepare seu chapéu, seu cavalo e seu revólver, pois vamos desbravar novas fronteiras com este ex-cavaleiro solitário.

sábado, 2 de novembro de 2013

Coronel mostarda com a chave inglesa na biblioteca...

Depois de seguir seu chapéu levado pelo vento, um estranho misterioso entra na casa de n°17. Lá em meio a muitas sombras encontra outro misterioso, caricato e exagerado homem. E um cadáver. Uma garota cai do telhado, com um telegrama misterioso. Coisas desaparecem. Mais pessoas chegam a casa. Todos se desentendem. E começa uma perseguição estilo gato e rato.

Com mistério até no título (ao menos no nacional), Mistério no número 17, joga o expectador direto no enigma. Quem é esse cara? Porque ele entrou no número 17? E esse outro? E quem é o cadáver? Porque foi morto? Por quem? É assim que ele mantém o expectador, que fica atento a cada detalhe tentando organizar as informações na cabeça, e desvendar, o que exatamente está acontecendo naquela casa.

O mistério é reforçado pela câmera fechada, não vemos muito do ambiente. Não que fosse adiantar mostrar mais, pois o pouco que vemos está envolto em sinistra e suspeitas sombras. E claro, aos poucos, vamos descobrindo que a trama envolve uma criminosos que acabaram de roubar jóias e um detetive em seu encalço. E tudo culmina em uma eletrizante perseguição em um trem. Eletrizante, para 1932.

Sim 1932. Este é o maior problema do longa. É uma época diferente, um ritmo diferente. E o que devia ter um efeito de mistério, soa repetitivo. O que deveria ser assustador parece cômico. Tudo por culpa da atuação e do roteiro que ainda carregam bastante da época em que o cinema não sabia falar. Apenas alguns anos antes. O filme ficou datado.

Se a idade atrapalhou filme. A qualidade da cópia que vi também não ajudou. Apesar do bom argumento e da curta duração o filme é cansativo. Quase não lembra as obras mais conhecidas de Hitchcock. Prova que até os mestres começam aos poucos.

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

Filmografia Alfred Hitchcock

O cineasta tem 67 créditos como diretor, confira a lista completa!

1976 Trama Macabra
1972  Frenesi
1969 Topázio
1966 Cortina Rasgada
1964 Marnie, Confissões de uma Ladra
1963 Os Pássaros
1962 The Alfred Hitchcock Hour (TV Series) (1 episode)
- I Saw the Whole Thing (1962)


1955-1961 Alfred Hitchcock Presents (TV Series) (17 episodes)
- Bang! You're Dead (1961)
- The Horse Player (1961)
- Mrs. Bixby and the Colonel's Coat (1960)
- The Crystal Trench (1959)
- Arthur (1959)

1960 Psicose
1960 Startime (TV Series) (1 episode)
- Incident at a Corner (1960)

1959 Intriga Internacional
1958 Um Corpo Que Cai
1957 Suspicion (TV Series) (1 episode)
- Four O'Clock (1957)

1956 O Homem Errado
1956 O Homem Que Sabia Demais
1955 O Terceiro Tiro
1955 Ladrão de Casaca
1954 Janela Indiscreta
1954 Disque M para Matar
1953 A Tortura do Silêncio
1951 Pacto Sinistro
1950 Pavor nos Bastidores
1949 Sob o Signo de Capricórnio
1948 Festim Diabólico
1947 Agonia de Amor
1946 Interlúdio
1945 Quando Fala o Coração
1945 Watchtower Over Tomorrow (Short) (uncredited)
1944 Aventure malgache (Short)
1944 Bon Voyage (Short)
1944 The Fighting Generation (Short) (uncredited)
1944 Um Barco e Nove Destinos
1943 Sombra de uma Dúvida
1942 Sabotador
1941 Suspeita
1941 Casal do Barulho
1940 Correspondente Estrangeiro
1940 Rebecca, A Mulher Inesquecível
1939 A Estalagem Maldita
1938 A Dama Oculta
1937 Jovem e Inocente
1936 O Marido Era o Culpado
1936 Agente Secreto
1935 Os 39 Degraus
1934 O Homem Que Sabia Demais
1934 Waltzes from Vienna
1932 Number Seventeen
1931 Rich and Strange
1931 Mary
1931 The Skin Game
1930 Assassinato
1930 An Elastic Affair (Short)
1930 Elstree Calling (some sketches)
1929 Sound Test for Blackmail (Short documentary)
1929 Juno and the Paycock
1929 Chantagem e Confissão
1929 O Ilhéu
1928 Champagne
1928 Mulher Pública
1928 The Farmer's Wife
1927 Downhill
1927/I O Ring
1927 The Lodger: A Story of the London Fog
1926 The Mountain Eagle
1925 The Pleasure Garden
1923 Always Tell Your Wife (Short) (uncredited)
1922 Number 13 (unfinished)