3 blogueiras + 1 desafio = aprimorar a cinefilia.
DVD, sofá e pipoca,
formando cinéfilas melhores!

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Faroeste futurista

Acerto uma pulga nas costas de um cahchorro a 10 metros. Duvida?
Foi o primeiro faroeste a que realmente assisti e gostei. Não é à toa, apesar de a história se passar no inconfundível Velho Oeste americano, ainda tem romance, comédia e as complicadas teorias relativas ao continuum espaço-tempo. Além de responder a todas as perguntas do enigmático e empolgante final em aberto do segundo longa.


Para a blogueira que vos escreve, a terceira e última parte da trilogia estava apenas a uma locadora de distância, mas não consigo deixar de imaginar como deve ter sido para quem acompanhou o lançamento nos cinemas. Esperar seis meses para saber como Marty salvaria o Dr. Brown, deve ter sido tortura semelhante à esperar pelas sequências de O Senhor dos Anéis, ou ainda a segunda parte de Relíquias da Morte. Você sabe que terá um pouco mais de aventura, mas é obrigado a esperar. Tortura maior, só saber que era a última carona no DeLorean.

Marty (Michael J. Fox) precisa resgatar o Dr. Brown (Chrispiher Lloyd) no Velho Oeste estadunidense, e salvá-lo de ser morto pelo ancestral de Biff (Thomas F. Wilson). Mas, pela primeira vez, o Dr. perde o foco em suas experiências quando cai de amores à primeira vista pela professora Clara Clayton (Mary Steenburgen). E ainda tem o problema da falta de gasolina.

Usamos Frisbies para comer!
Os McFly (Lea Thompson e Michael J. Fox) ainda estão presentes, apenas para dar uma sensação de continuidade e sanar nossa curiosidade sobre as origens da família e dos maus hábitos de Marty. Mas, desta vez, a familia do adolescente é deixada em paz para que Emmett finalmente ganhe espaço. Nós, espectadores fãs do personagens, só podemos ficar felizes e torcer para que dê certo, tanto o romance quanto a parte de viagem no tempo.

Se deliciar com as referências à própria franquia e a cultura pop em geral é novamente um dos pontos fortes do longa. Eu adoraria adotar o pseudônimo Clint Eastwood, se visitasse o oeste. Usar o moonwalker para desviar de balas, mandar bem no tiro por causa de videogames, habilidades típicas de um adolescente dos anos 1980.

Eastwood em pose de ação!
Quem já viu mais de uma vez pode até brincar de encontrar os "ecos" da vida através dos tempos. Assistir a diferentes versões da mesma cena. A paquera na garagem ao lado do DeLorean, a bilhante idéia do colete  à prova de balas, alguém gritar McFly em um bar ou ainda a favotira de 11 em cada 10 viajantes do tempo: ver o bandido comer estrume. Sempre existe algo novo a descobrir.

Desta vez percebi que, embora Marty planeje acampar sob as estrelas com sua namorada Jennifer (Elisabeth Shue), desde o filme original é o Dr. que consegue seu encontro romântico com Clara. Com direito a telescópio e estrelas cadentes. Falando na Jennifer, pobre garota dormiu durante dois filmes inteiros e perdeu toda a diversão.

O DeLorean, personagem a parte, termina sua história com estilo. Vemos o carro coberto de gelo, soltando fogo pelas rodas, voando, sendo atingido por um raio, puxados por cavalos, empurrado por uma locomotiva. Melhorias de épocas distintas, que vão do ecológico Sr. Fusão, a charmosos pneus dos anos 50. E o que era aquela versão gigante do chip de circuitos de tempo em cima do capô? Impossível não se apegar e sentir aquela dorzinha no coração quando [SPOILER] ele é esmigalhado pelo trem. [fim do SPOLER]. Sinto muito, locomotiva, eu preferia o DeLorean!

É curioso quando Marty (ou Clint, se preferir)  percebe, e nos faz perceber, que tudo que nossos protagonistas fazem é correndo contra o tempo, sempre em cima da hora. Como pode? O tempo é a única coisa que eles deveriam ter a seu favor!

E para quem ainda ficou com gostinho de quero mais, restam os ensinamentos do quanto é perigoso brincar com o tempo. E que segundo o Dr. Emmett Brown: o futuro não está escrito, ele é o que você faz dele, então faça-o bem! 

Ele deve estar certo, afinal o cientista é ele!

Contudo, se a lição não for o suficiente para você, tudo bem! O Dr. já construiu outra máquina mesmo.

2 comentários:

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

É um filme muito divertido, e o Fox tinha todo um carisma.
Quer dizer que vc não gosta de westers?
E o que achou dos meis 10 Melhores Filmes de 2010?
Abração,

www.ofalcaomaltes.blogspot.com

Fabiane Bastos disse...

Ficou parecendo, né! Eu gosto de westerns, mas o genero não está no topo de minha lista de favoritos.

Eu disse que o longa foi o primeiro faroeste que assisti e gostei, porque ele realmente foi o primeiro faroeste que assisti em minha vida!

Só para constar, gostei muito dos dois longas do gênero que assistimos ano passado aqui no DVD: Os Imperdoáveis e Rástros de Ódio.

Quanto aos seus 10+, tô indo conferir...