3 blogueiras + 1 desafio = aprimorar a cinefilia.
DVD, sofá e pipoca,
formando cinéfilas melhores!

sábado, 22 de outubro de 2011

Ótimo filme pipoca de vampiros


Depois de um filme existencialista e um clássico que ajudou a consolidar a cultura vampiresca no cinema, nada melhor que um longa que prova que esse universo também pode ser muito divertido. Foi ótimo descobrir agora Os garotos perdidos, que figuraria fácil entre os meus preferidos de um ranking "Sessão da tarde". Com um elenco incrível em mãos, Joel Schumacher lança mão de bons efeitos especiais com moderação na hora de contar a história, que atrai mesmo pelo desenrolar do roteiro bem-humorado.

Dá para entender perfeitamente por que Sam (Corey Haim) achou meio ridículo o papo de Edgar (Corey Feldman) e Alan (Jamison Newlander) sobre as tais criaturas das trevas. A cidadezinha de Santa Clara, na Califórnia, tem mesmo um ar inofensivo, e falar sobre vampiros parece ser uma tática para assustar os recém-chegados. Mas quando seu irmão Michael (Jason Patric) volta meio estranho de uma noitada, com hipersensibilidade à luz e sem reflexo no espelho, é hora de pedir ajuda.


Kiefer Sutherland, ainda com aquele inacreditável cabelo parafinado que lhe dava ar de bad boy em Conta comigo, continua um rebelde sem causa - com a vantagem de poder aprontar e se divertir sem consequências por toda a eternidade. Agora, líder de uma gangue que parece assustadora de verdade e que curte The Doors,  ele e Feldman (ídolo dos anos 80, também de Conta comigo e Os goonies) estão em lados opostos mais uma vez. A preparação para a guerra, que envolve várias cabeças de alho e água benta roubada da igreja durante um batizado, é de rolar de rir. Mas para eles é coisa séria: o visual à la Rambo não os deixa mentir. E impressiona a coragem com que aqueles moleques partem para as batalhas, embora na hora H, role um certo desespero...

No elenco "adulto", Diane Weist é perfeita como a mãe compreensiva e incrédula. Seu romance com Max (Edward Herrman) parece ser apenas pano de fundo para as aventuras adolescentes, mas garante momentos deliciosos à trama, como a cena do jantar, em que Sam, Edgar e Alan fazem todos os testes para se certificar que o convidado é mesmo o chefe dos vampiros. Ao mesmo tempo em que é leve, a trama é superbem amarrada e as sequências de ação têm o ritmo perfeito. Não tem como não curtir.

2 comentários:

Rodrigo Mendes disse...

Ótimo especial meninas!!!!

Adoro estes vampiros teenagers, rs!

Beijos.

Fabiane Bastos disse...

Valeu! É bom saber que já houve "vida" entre vampiros teens!