3 blogueiras + 1 desafio = aprimorar a cinefilia.
DVD, sofá e pipoca,
formando cinéfilas melhores!

quinta-feira, 19 de abril de 2012

Curiosidades de Luzes da Ribalta

Chaplin vs Keaton
Este é o 1º e único filme em que Charles Chaplin e Buster Keaton, dois astros do cinema mudo, contracenam juntos. Este é muitas vezes erroneamente citado como seu primeiro encontro na tela, mas ambos apareceram em um filme publicitário curto na década de 1920 intitulado vendo estrelas.

Charles Chaplin e Buster Keaton tiveram uma relação interessante. Há muito considerado rivais, mas sempre tendo evitado comentar sobre o outro na imprensa, Chaplin contratou Keaton para um papel em Limelight. Keaton, que estava falido na época, entrou em declínio na carreira depois de ter contratado pela MGM em 1928, o estúdio não iria o deixava improvisar, escrever ou dirigir. Ele acabou reduzido a escrever piadas - muitas vezes sem créditos - para filmes de outros comediantes. Chaplin, neste momento, sentiu pena de Keaton.Mas, Keaton reconheceu que, apesar de maior fortuna e riqueza, Chaplin foi (estranhamente) o mais deprimido dos dois. Em uma cena em Limelight, a personagem de Chaplin estava morrendo. Enquanto a câmera foi desaparecendo, Keaton estava murmurando a Chaplin sem mover os lábios, "É isso aí, bom, espere, não se mova, espere, bom, nós estamos verossímeis." Em sua autobiografia Keaton chamado Chaplin "o maior comediante silencioso de todos os tempos."

Última atuação de Edna Purviance no cinema. A atriz atuou várias vezes com Chaplin na era do cinema mudo, tendo pouco trabalhado após a década de 20.

Chaplin a manteve em sua folha de pagamento até sua morte.

Estréia de Geraldine Chaplin no cinema.

As crianças vistas com Calvero em sua 1ª cena no filme são na verdade filhos do próprio Charles Chaplin.

Pela 1ª vez desde sua participação especial em Fazendo Fita (1928) Charles Chaplin aparece em cena sem seu tradicional bigode.

Os comediantes britânicos Charley Rogers e Charlie Hall fazem pequenas participações em Luzes da Ribalta

Quando algumas cenas de Luzes da Ribalta foram rodadas novamente a atriz Claire Bloom não estava disponível para as filmagens. Desta forma Charles Chaplin fez com que Oona Chaplin, sua esposa, a substituísse em cena.

Em cena uma vez, Calvero (Charles Chaplin) ironiza: "É o vagabundo em mim", que é uma homenagem ao seu personagem Vagabundo, que o catapultou para a fama e fortuna em uma série de filmes mudos.

O último filme que Charles Chaplin produzido na América.

O filme foi originalmente concebido por Charles Chaplin como um romance intitulado "Footlights" (Ribalta).

Chaplin viajou para Londres para a estréia mundial em 16 de outubro de 1952, mas sua autorização de reentrada nos EUA foi revogada depois que ele saiu por causa de suspeitas de laços do Partido Comunista. Chaplin fora avisado quando já estava em alto mar, desde então escolheu viver na Suíça. Depois de apresentações de "Limelight", em Nova York e outras cidades da costa leste, um frenesi anti-Chaplin causado o cancelamento de apresentações em outras cidades.

Em 1952 Chaplin teve de responder por possíveis ligações comunistas. Seu filme, então, não pôde estrear em Los Angeles, fato este que se deu apenas em 1972 - o que permitiu concorrer ao Oscar daquele ano, sendo vitorioso e aclamado em sua volta aos Estados Unidos - de onde saíra.

0 comentários: