3 blogueiras + 1 desafio = aprimorar a cinefilia.
DVD, sofá e pipoca,
formando cinéfilas melhores!

sábado, 25 de maio de 2013

Não é fácil, é rico!

Inicialmente Persepolis não é um filme fácil. Especialmente se você cochilou um pouco nas aulas de história. Mas não se deixe assustar pelo conturbado cenário politico do Irã, o bom texto se encarrega de te lembrar (ou explicar pela primeira vez) o que se passa, e tudo isso através dos olhos de uma criança.

Aos 9 anos Marjane presenciou o golpe de estado de 1979 que declarou a República Islâmica. Mas a revolução que levou Aiatolá Khomeini ao poder, apoiada pela população esperançosa na verdade se revelou um estado de repressão e medo ainda maior. Culminando com a guerra contra o Iraque. A menina testemunhou parte desta história em loco, outra exilada pelos próprios pais, para sua segurança. Trocando o perigo iminente pela angústia de estar segura enquanto todos que amam continuam em perigo.

O filme é baseado na grafic novel auto-biográfica de Marjane, o desenho segue os traços da publicação e é majoritariamente em preto e branco. Não. Aparentemente não é o filme mais atraente para as massas. Uma pena!

Contado pelo ponto de vista de Marjane desde a infância a situação ganha tons diferentes, dependendo da capacidade da menina de entender o que se passa. Mudando constantemente, acompanhando o amadurecimento da protagonista, compreendemos não apenas o cenário politico em que ela vive, mas os dilemas e angústias que talvez a própria Marjane não entendia.

A situação é tensa, perigosa mas o roteiro se permite apresentar várias das situações de forma bem humorada, e algumas vezes até lúdica. O que, somado ao visual estilizado (e lindo), e ao carisma da protagonista torna o filme um produto único.

O universo é estranho ao nosso cotidiano, a cultura é outra, o idioma é diferente, o periodos histórico não é o nosso, ainda assim é impossível não se importar com Marjara. Não sentir nostalgia dos nossos 8 anos, quando situações politicas pareciam misteriosas aventuras. Ou mesmo relacionar suas loucuras da adolescência, com as nossas loucuras da adolescência. Dispensável dizer que torcemos até o fim.

Verdade. Persepolis, não é um filme fácil, muito menos para crianças. Mas é rico, em conteúdo, estilo e mensagens. Um produto maduro criado em uma mídia majoritariamente infantil. Imperdível!

0 comentários: