3 blogueiras + 1 desafio = aprimorar a cinefilia.
DVD, sofá e pipoca,
formando cinéfilas melhores!

quinta-feira, 5 de setembro de 2013

Muita pirataria, pouco rock

Ser um jovem britânico na década de 1960 poderia ser muito tedioso. Em plena ascensão do rock, as rádios tradicionais tocavam apenas cerca de duas horas do ritmo por semana. Não é de se admirar que logo logo apareceram rádios piratas dedicadas ao rock e pop. O longa sintetiza essas rádios em apenas uma, situada em um navio, a exemplo de uma rádio real da época.  Encerra aqui a referência do filme com a história real do Reino Unido.

Começa aqui a parte loucamente fictícia do longa. Tem gente de mais naquele barco. E quando eu digo gente, me refiro aos locutores, todos homens. Quando não estão pensando em rock, estão fazendo o que o estereótipo de roqueiro dos anos 60 dita. Afinal esta é uma comédia.

Embarcamos na Radio Rock junto com um jovem de 18 anos enviado pela mãe para conviver com o padrinho e melhorar seu comportamento. Não, não lembro o nome dele. Aliais, de nenhuma das personagens, tem muita gente nesse barco. E por um simples motivos, os locutores e equipe técnica vivem na embarcação, se revezando nos microfones para manter a rádio 24 horas no ar.

Passamos então a acompanhar o cotidiano da estação, que vive, literalmente de sexo, drogas e rock n' roll. Enquanto um oficial do governo (Kenneth Branagh) e seu assistente (Jack Davenport) tentam tornar as rádios piratas ilegais. Afinal, estão desencaminhando os jovens.

Na Radio Rock os conflitos são curtos e episódicos à espera do grande clímax, que envolve a ação do governo (ou quase isso). Assim, temos a visita mensal das moças para namorar os rapazes. O dilema da grande estrela da estação ameaçada pelo retorno de um antigo locutor, o caso do casamento, e por aí vai. Tudo apresentado e resolvido alguns minutos depois. Pode incomodar e muito que esperava por uma trama melhor estruturada. Entretanto, falta de trama incomoda menos que os estereótipos do rock, que inclui "bicho-grilo", mulheres objetos, etc.

A parte divertida fica por conta das ótimas atuações de um elenco de estrelas britânicas como Nick Frost, Katherine Parkinson, Chris O'Dowd, Bill Nighy, Rhys Ifans e Nick Frost. E as participações relâmpagos como Emma Thompson, Gemma Arterton e January Jones. Philip Seymour Hoffman é o gringo da produção.

Os Piratas do Rock não mantém um ritmo linear, mas ganha os expectadores com a carisma de um elenco de estrelas.


0 comentários: