3 blogueiras + 1 desafio = aprimorar a cinefilia.
DVD, sofá e pipoca,
formando cinéfilas melhores!

terça-feira, 10 de dezembro de 2013

Curiosidades de Os Sapatinhos de Balé

Estréia no cinema de Moira Shearer.

Foi difícil convencer Moira Shearer a protagonizar o filme. Quando a conheceram os diretores Michael Powell e Emeric Pressburger tiveram certeza de que era a estrela que procuravam - bailarina profissional, linda e capaz de atuar -, mas foi necessário um ano inteiro de conversas até que a moça aceitasse estrear nas telas e interpretar Victoria.

Allan Gray foi descartado como compositor do filme para ser substituído por Brian Easdale que ganhou um Oscar por seu trabalho.

O envolvimento da Hein Heckroth como desenhista de produção marca a primeira vez que um pintor foi contratado para supervisionar a aparência de um filme.

O "Balé das Red Shoes", de aproximadamente 15 minutos, usou um corpo de baile de 53 bailarinos. Levou seis semanas para filmar e empregou mais de 120 pinturas de Hein Heckroth. O jornal dançante foi conseguido através de edição cuidadosa e uso de fios.

Jack Cardiff deliberadamente manipulou a velocidade da câmera durante o ballet Red Shoes para criar o efeito de bailarinos quase pairando no ar, no auge de seus saltos.

Quando Ludovic Kennedy viu Moira Shearer neste filme, ele disse que soube imediatamente que ela ia ser a garota que ele iria se casar. Ele se casou com ela dois anos depois, em fevereiro de 1950 na Capela Real no Palácio de Hampton Court, em Londres.

Diretor de Fotografia Jack Cardiff não estava interessado em fazer um filme de balé então ele forçou-se a assitir muitas produções de balé até se familiarizar com esta forma de arte. Ele logo foi conquistado.

levou seis semanas para filmar e empregou mais de 120 pinturas de Hein Heckroth. O jornal dançante foi conseguido através de edição cuidadosa e uso de fios.

Os criadores do Technicolor Herbert T. Kalmus e Natalie Kalmus consideraram este filme o melhor exemplo de Threes-Strip Technicolor. Durante as filmagens, no entanto, Natalie Kalmus muitas vezes se queixou de que Jack Cardiff não estava seguindo as regras estabelecidas para os filmes Technicolor e exigiu que eles re-filmassem várias cenas. Mas Michael Powell sempre apoiava Cardiff e eles conseguiram o filme que queriam.

O exterior do Teatro Mercury, Notting Hill Gate foi mostrado na chuva porque Michael Powell tinha ido muitas vezes lá para ver peças ou o ballet e ele lembrou "que sempre parecia estar chovendo quando estava na fila para produções de Madame Rambert".

Quando as pessoas se queixaram de Hein Heckroth sobre o final triste, ele apontou para eles que no conto de fadas original de Hans Christian Andersen, a bailarina tinha os pés decepados por um lenhador para impedi-la de dançar.

Uma cópia restaurada foi feita pela Fundação filme de Martin Scorsese e a UCLA Film & Television Archive. Envolvendo muitos anos de trabalho que foi direto de volta para os negativos originais, reparando digitalmente todos os riscos e desalinhamentos. O cópia restaurada foi exibido no Festival de Cannes 2009 com grande sucesso e, além de ser disponibilizado em DVD e Blu-Ray e exibido em cinemas.

Michael Powell e Emeric Pressburger colaborou novamente 30 anos depois de terminar este filme para produzir uma novelização de "The Red Shoes", em 1978. A ação do romance é ambientado na década de 1920.

Os Sapatinhos Vermelhos inspiraram Vincent Minnelli e Gene Kelly na realização do clássico hollywoodiano Sinfonia de Paris (1951)

0 comentários: