3 blogueiras + 1 desafio = aprimorar a cinefilia.
DVD, sofá e pipoca,
formando cinéfilas melhores!

domingo, 16 de fevereiro de 2014

Não leia sinopses, apenas assista!

Não leia sinopses de filmes antigos. Elas tem um enorme potencial para conter spoilers. Este é o caso das sinopses de "A Escolha de Sofia", que você encontra on-line. Apesar do titulo que aparentemente entrega o dilema do longa (Sofia precisa escolher), sua trama pode surpreender os desavisados, de forma adoravelmente triste e melancólica. Logo, segue minha resenha, com tentativa de evitar spoilers inclusa. Caso você seja um dos poucos sortudos que ainda não conhecem o dilema.


É na companhia do jovem aspirante a escritor Stingo (Peter MacNicol), que chegamos ao casarão cor de rosa onde vivem Sofia (Meryl Streep) e Nathan (Kevin Kline). O casal excêntrico logo adota Stingo como um de seus melhores amigos. Junto com ele, aos poucos vamos descobrindo as histórias sobre o casal, especialmente sobre Sofia.

Desde o mágico momento em que se conheceram, até segredos que um esconde do outro. Alternando as revelações com piqueniques no parque, festinhas privadas e outros prazeres da vida. Assim, o longa trata de forma simples assuntos complexos. Problemas psicológicos, doenças, adultério, mentira, confiança, e claro, a culpa. 

A culpa pelas escolhas que fazemos, e a capacidade de lidar com essas escolhas, ou mesmo com o fato de se abster delas. Afinal, o filme se chama "A Escolha de Sofia". E por incrível que pareça, a sequencia que dá título ao filme, e que até virou expressão idiomática em algumas situações dura cerca de 50 segundos. Revelada ao final do longa, é o clímax de um crescendo. Uma tensão que começa bem pequena, na primeira aparição de Sofia e dua característica tatuagem no braço.

Existe ainda uma mudança de fotografia durante os flashbacks, que ajudam a criar o tom melancólico do longa. Seja no passado quase em preto e branco de Sofia na Europa, ou na explosão do aconchegante e forte, porém instável vermelho que surge quando Nathan entra em sua vida. 

Além da escolha do roteiro em revelar histórias fortes em doses homeopáticas. A atuação do elenco apenas valoriza isso, competentes em alternar entre sequencias divertidas, à tensão e tristeza com a mesma qualidade. E claro, a impactante cena da escolha que além de curiosamente curta, já sabemos o resultado. Mesmo assim, é difícil ficar impassível, seja pela impactante interpretação de Streep, da forma como a cena foi montada, ou da eficiente escolha do roteiro, ao fragmentar a narrativa.

Como bônus, o filme ainda te deixa por dias, tentando compreender o porque da escolha de Sofia, ou mesmo como ela conseguiu toma-la sobre pressão, em poucos segundos. Não adianta, nunca entenderemos, afinal nunca sabemos se somos capazes de fazer algo, a menos que enfrentemos a situação. 

Um filme tocante, e cheio de discussões, merece ser visto da forma que planejaram, mantendo a tal escolha como incógnita até o fim. Então ao se deparar com uma sinopse espero que seja capaz de controlar a curiosidade e escolha, evitá-la! Boa sorte, a escolha é sua.

8 comentários:

Raíssa Toscano disse...

Filme maravilhoso! Com certeza uma das melhores atuações da Meryl. A primeira vez que assisti, lembro de ficar pensando: ''Ela é demais! Como consegue fazer isso?''. Assistir Meryl é como ser transportado para o mundo dos sonhos. Já vi todos os seus filmes, e ela continua a me surpreender a cada novo papel. Perfeição!!!

Fabiane Bastos disse...

Ih! Passou a nossa frente!
Nós aqui bem que queríamos mas ainda não conseguimos assistir todos os longas de Meryl. Falta tempo!

Mas então, nos conte: qual vc acha que precisamos ver com urgência???

Raíssa Toscano disse...

Os meus preferidos: As Pontes de Madison, A Casa dos Espíritos, Adaptação, A Difícil Arte de Amar, Ironweed, Lembranças de Hollywood? Vcs já viram algum desses?? :)

Fabiane Bastos disse...

Que coisa feia, eu não vi! Vou perguntar para minhas colegas de blog. Mas, isso pode ser bom. A desculpa perfeita para promover outro mês dedicado à Meryl!

Raíssa Toscano disse...

Fabianeee, vc PRECISA ver. Principalmente As Pontes de Madison. Para mim, é o melhor filme dela. Pode parecer repetitivo, mas não encontro outra palavra para descreve-la que nao seja per-fei-ção.
Siiim, espero que logo façam outro mês dedicado à ela...A melhor atriz de sempre.

Raíssa Toscano disse...

Fabiaaane, vc precisa ver.Principalmente As Pontes de Madison,é o melhor filme dela, na minha opinião.
Siiiiim, espero que logo dediquem outro mes à ela...a melhor atriz de todos os tempos.

Raíssa Toscano disse...

Fabiane, vc simplesmente precisa assistir todos estes. Principalmente As Pontes de Madison. Espero que logo dediquem outro mês à Meryl, a maior atriz de todos os tempos.

Fabiane Bastos disse...

Você manda Raíssa, vamos providenciar esse mês novo. Enquanto isso, não deixe de nos acompanhar, para descobrir outros melhores atores, diretores, filmes e temas de todos os tempos! ;)

Bjs