3 blogueiras + 1 desafio = aprimorar a cinefilia.
DVD, sofá e pipoca,
formando cinéfilas melhores!

domingo, 2 de março de 2014

Não assista sem um lanche!

Julia Child (Meryl Streep), chega Paris no final dos anos 1940, se apaixona pela culinária francesa, e descobre o que gosta e pretende fazer da vida, cozinhar e comer! Decide então estudar na Escola de culinária Le Cordon Bleu.

Julie Powell (Amy Adams) mora em cima de uma pizzaria em Nova York em 2003, tem um marido carinhoso e um emprego chato. Afogada na sua vidinha monotóna ela decide se empenhar em algo para quebrar o tédio. O projeto: cozinhar em 1 ano, todas as 524 receitas de Mastering the Art of French Cooking, de Julia Child, e publicar suas experiências em um blog The Julie/Julia Project.

Inspirado em duas histórias reais Julie & Julia tem como base duas obra literárias. O livro de memórias My Life in France de Julia Child, e o volume que resultou do blog de Julie Powell, Julie & Julia. O filme conta as histórias dessas duas mulheres, que embora distantes no tempo e espaço, tem muito em comum.

Enquanto Julia lida com o preconceito na escola de culinária, e com as dificuldades de se escrever e publicar um livro. Julie descobre as dificuldades que a dedicação total a um projeto pode trazer. Desde o próprio estresse do trabalho como crises conjugais, e pessoais. Duas histórias distintas interligadas de forma competente por um roteiro equilibrado, bem escrito e executado.

Meryl, como sempre, se transfoma totalmente no ícone culinário estunidense. A voz estanha a forma arrastada de falar, os gestos únicos um tanto desajeitados de uma mulher grandalhona (a verdadeira Julia tinha 1m90, e Meryl no filme aparenta esse tamanho), nada deixa a recordista de indicações ao Oscar desconfortável no papel. Ela está tão a vontade que chega a ser tão, ou mais, carismática que a personagem real, arrancando as melhores gargalhadas do público.

Amy, encarna uma tipica mulher do século XXI, com todas as neuroses da vida moderna, mesmo assim consegue dá um tom de doçura divertido a personagem. A graça fica evidente no entusiasmo com que ela escreve, ou na impagável cena do assassinato da lagosta. No elenco também estão o impecável Stanley Tucci, como o marido de Julia. Chris Messina, Linda Emond e Jane Lynch (de Glee).
Lobster Killer! Lobster Killer! Lobster Killer!

Agrada os amantes da culinária, ou seja, quase todos que não tenham algum distúrbio alimentar (quem não gosta de boa comida?). E também os blogueiros, que vão se identificar com Julie, que hora se sente escrevendo para um imenso vácuo, hora vibra com 56 comentários no blog. (eu quero 56 cometários no meu post!)

O único problema é a fome, que vai aumentando conforme nossas protagonistas vão aumentando sua habilidade culinária. O foi agravado pelo fato de Gi, do Comentar é Preciso, e eu termos escolhido uma sessão que iniciava as 12h15, hora do almoço (Festival do Rio é assim). Além da imensa vontade de escrever. Um estímulo para crises de inspiração de escritores (blogueiros ou não) de qualquer parte do mundo!
Já sinto fome apenas ao olhar fotos do longa!

Post publicado originalmente no blog Ah! E por falar nisso..., em setembro de 2009

2 comentários:

Débora Molliet disse...

Assistir esse filme e não sentir fome é como ver Beleza Roubada e não sonhar em ir à Itália!

Fabiane Bastos disse...

Concordo em gênero número e grau. Cedo ou tarde vou acabar comprando uma cópia do livro da Julia só p/ experimentar as receitas certas.

Valeu pela visita, volte sempre!