3 blogueiras + 1 desafio = aprimorar a cinefilia.
DVD, sofá e pipoca,
formando cinéfilas melhores!

sexta-feira, 20 de junho de 2014

Banguela é o cara!

Como treinar seu dragão 2 (How to train your dragon 2, 2014) veio pra fortalecer a imagem da dupla Soluço (Jay Baruchel, o esquisitinho aprendiz de feiticeiro do filme homônimo) e Banguela, o adorável dragão com trejeitos de gato e último da espécie Fúria da Noite. Como a batalha para por juízo em toda a população de sua ilha sobre como os dragões podem viver pacificamente com humanos, nesse filme o desafio de Soluço é desafiar o próprio pai.

Se agora ele já não era mais visto como um garoto encrenqueiro (ou pior, uma vergonha para o pai) do primeiro filme, agora as expectativas em cima do jovem rapaz só aumentavam. Ele é o sucessor natural de Stoico (Gerrard Buttler, mas aqui não é Esparta!) e este quer que Soluço seja o melhor líder que Berk poderia ter. Mas a responsabilidade é um peso enorme sobre os ombros magrelos do rapaz, que prefere passar o tempo jogando e se divertindo com os amigos e mapeando a região. Descobrir novos lugares é a alegria dele e de seu amado dragão. Mas ao explorar uma área ainda desconhecida, Soluço e sua namorada Astrid (America Ferrara, a Betty do seriado americano baseado na novela venezuelana Betty, a feia) foram tomados reféns junto com seus dragões por um caçador. Eles conseguem fugir, mas Soluço fica encucado com o que ouviu de Eret (Kit Harington, aquele que não sabe de nada): um misterioso caçador, muito poderoso e implacável, chamado Drago (Djimon Houson, o caçador de diamantes de Diamante de Sangue) está  montando um exécito para si. Soluço volta para Berk e tenta alertar ao pai sobre o que ouviu. Ao vê-lo recolher todos os dragões e se preparar para uma guerra, Soluço se rebela: acima de qualquer coisa, ele acredita que pode convencer Drago a aceitar os dragões e não a temê-los, assim ele não precisaria mais matar nenhum dragão. Bom, se Soluço conseguisse isso assim, de primeira, a gente não ia ter um filme pra ver, né?

Pois é. Fugindo do cerco de seu pai, e arrastando consigo involuntariamente todos os seus amigos companheiros de treinamento, Soluço acaba por descobrir que esse osso é mais duro pra roer. Após seu plano de conversar fracassar terrivelmente, Soluço consegue fugir com Banguela e é perseguido por um estranho domador de dragões - uma figura misteriosa que monta um dragão gigantesco.
Sabendo o quanto Drago é perigoso, Stoico e Gobber (Craig Fergunson) vão atrás das "crianças". Drago agora quer o último Fúria da Noite (a.k.a. Banguela) em seu exército e decide marchar para acabar com as ameaças - o domador e Berk;  Stoico fica dividido entre encontrar o filho e proteger sua cidade e Soluço descobre a real identidade do misterioso domador de dragões que o capturou - e, de quebra, descobre um santuário de dragões. Mais sobre a trama eu não revelo pra não estragar a história.

Como treinar seu dragão 2 é muito mais grandioso e ambicioso que o primeiro. Fica evidente o salto de qualidade da produção: a quantidade de detalhes no cenário é absurda e o investimento no crescimento dos personagens promete uma longa (e possivelmente muito rentável) série: os personagens estão evoluindo e encarando uma vida mais dura, exatamente como o público alvo cativado desde o primeiro longa. O carisma dos personagens, especialmente do dragão Banguela, é peça-chave para o bom desempenho do filme, que não decepciona. Mais divertido (os hormônios adolescentes à flor da pele arrancaram gargalhadas), visualmente mais deslumbrante (o santuário de dragões lembra muito Avatar, de James Cameron), mais maduro, mais emocionante. E no final, ainda fica um gostinho de quero mais.

0 comentários: