3 blogueiras + 1 desafio = aprimorar a cinefilia.
DVD, sofá e pipoca,
formando cinéfilas melhores!

terça-feira, 5 de agosto de 2014

Curiosidades de "Ed Wood"

O filme é inspirado no livro na biografia de Ed Wood, Nightmare Of Ecstasy: The Life and Art de Edward D. Wood, Jr., de autoria de Rudolph Grey.

Este filme custou mais para produzir do que todos os filmes Edward D. Wood Jr. juntos. Embora US$18 milhões, fosse considerado baixo em 1993.

Estima-se que apenas seqüência inicial de créditos custou mais (em dólares não ajustados) do que todo o orçamento de qualquer um dos filmes reais Edward D. Wood Jr.

O filme foi um fracasso em relação a sua bilheteria, tendo conseguido obter apenas cerca US$6 milhões. No entanto, o filme foi um sucesso de crítica.

A música arrebatadora durante o epílogo é baseado na música de Glen ou Glenda? (1953).

Tim Burton disse que ele foi atraído para a história por causa das semelhanças entre o relacionamento de Edward D. Wood Jr., com Bela Lugosi e sua amizade com Vincent Price no final da vida do ator. Price interpretou o inventor de Edward Mãos de Tesoura, o longa de Burton foi a última aparição do ator no cinemas. Price morreu em 1993.

Ed Wood inspirou Tim Burton de várias formas, até ao escrever seu primeiro filme com Johnny Depp, Edward Mãos de Tesoura, o nome do personagem principal é em homenagem ao diretor.

Rumores alegam que a decisão de filmar em preto e branco foi feita porque ninguém deveria decidir como Bela Lugosi deveria se parecer se filmado em cores. Entretanto versão oficial é de fazer menção a época em que o enredo se passava (ou seja, a década de 1950)e tornar o filme similar às produções cinematográficas de Ed Wood, filmadas em preto e branco.

Inicialmente, Bela Lugosi Jr. não queria ver o filme porque ele pensou que não iria retratar seu pai corretamente, mas após muita insistência ele viu o filme, e concordaram que Martin Landau honrado seu pai no desempenho. Os dois mais tarde se tornaram amigos.

Única objeção Bela Lugosi Jr. ao retrato do filme de seu pai era seu discurso. Em sua memória de Lugosi, seu pai nunca usou linguagem chula.

Johnny Depp disse que sua caracterização de Edward D. Wood Jr. era uma mistura de "o otimismo cego de Ronald Reagan, o entusiasmo do Homem de Lata de O Mágico de Oz (1939) e Casey Kasem."

Um dia, Kathy Wood, a esposa de Edward D. Wood Jr., visitou o set e pediu para se encontrar Johnny Depp. Naquele dia, eles estavam filmando uma cena onde Wood ficaria muito confuso, o que deixou Burton nervoso pelo que Kathy pensaria do filme. Quando Depp saiu de seu trailer, ela disse, "Esse é o meu Eddie."

Martin Landau venceu o Oscar de 'Melhor Ator Coadjuvante' por sua interpretação de Bela Lugosi. Foi a primeira vez na história do Oscar que um artista em qualquer categoria ganhou por interpretar uma verdadeira estrela de cinema. Uma década se passou antes que isso acontecesse de novo; Cate Blanchett levou o troféu "Melhor Atriz Coadjuvante" por sua interpretação de Katharine Hepburn em O Aviador (2004).

O próprio Bela Lugosi, nunca recebeu um Oscar.

A casa Johnny Depp em Hollywood com vista para sua casa noturna "The Viper Room" foi anteriormente propriedade de Bela Lugosi.

O primeiro filme de Tim Burton não tem Danny Elfman como compositor, o único outro é Sweeney Todd - O Barbeiro Demoníaco da Rua Fleet.

Os primeiros trajes de Colleen Atwood projetados para o personagem Ed Wood foram seu guarda-roupa drag.

O início do filme apresenta uma casa abandonada, que possui sobre uma mesa um esquife. Dentro do esquife está Criswell (Jeffrey Jones), que abre o caixão e realiza um discurso, que serve de prólogo para o início do filme. É uma referência às participações iniciais de Criswell nos filmes Plano 9 do Espaço Sideral e Noite das Assombrações, também realizava um discurso de prefácio para estes filmes.
Saudações meus amigos, você está interessado no desconhecido, no misterioso, no inexplicável, por isso você está aqui. E agora, pela primeira vez trazemos a história completa de todos acontecimentos. Trazemos evidências baseados apenas em testemunhas secretas de almas miseráveis que sobreviveram a esta aterrorizante provação. Os incidentes, locais... meu amigo, não podemos mais manter este segredo. Será que seu coração aguenta os fatos chocantes da verdadeira história de Edward D. Wood Jr.?
Outra referência honrosa pode ser vista nos créditos iniciais, com o nome do elenco aparecendo cravado em lápides e de discos voadores (fazendo menção a Plano 9 do Espaço Sideral, maior anti-sucesso de Ed Wood) e também as imagens de um polvo gigante submerso em um rio.

O operador de câmera Bill (Norman Alden) era daltônico. Esse detalhe fica evidente quando Ed Wood pede que Bill ajude Loretta a escolher entre dois vestidos de cores diferentes e ele não consegue identificar a cor de nenhum deles.

O ator Vincent D'Onofrio apareceu em uma ponta de cerca de um minuto interpretando o renomado ator e cineasta Orson Welles. No entanto, as falas do personagem não são feitas por D'Onofrio, mas pelo dublador Maurice LaMarche (que não foi creditado). LaMarche era o dublador do personagem Cérebro da dupla de desenho animado O Pinky e o Cérebro.

Durante a cena entre Orson Welles e Ed Wood, Welles comentava que estava fazendo um filme com Charlton Heston, que seria rodado no México. Trata-se de uma referência a A Marca da Maldade, de 1958.

O ator Conrad Brooks era um dos atores do verdadeiro Ed Wood. No filme ele aparece como personagem, representado por Brent Hinkley, e atuando como um barman.

0 comentários: