3 blogueiras + 1 desafio = aprimorar a cinefilia.
DVD, sofá e pipoca,
formando cinéfilas melhores!

sexta-feira, 27 de maio de 2016

Zoeira sem limites: "old style"

"Old style", velha guarda, tão das antigas que o "politicamente incorreto" provavelmente nem havia sido inventado ainda. Assim é Apertem os Cintos... o Piloto Sumiu! (Airplane! - 1980). Uma comédia escrachada sem medo de piadas racistas, sexualizadas ou mesmo pedófilas. Ainda sim, uma produção de fazer inveja à qualquer projeto atual dos irmãos Wayans.
Piloto automático, o melhor profissional da tripulação!
Referências? Tem sim senhor...
Em um dia comum no aeroporto de Los Angeles (inclua aí uma horda de fanáticos religiosos no saguão, e uma briguinha de casal entre os locutores de anúncios), Ted Striker (Robert Hays) um taxista ex-combatente de guerra apaixonado tenta reatar com a namorada aeromoça Elaine (Julie Hagerty). Ele segue a moça em seu voo para Chicago encarando seu trauma de voo adquirido da guerra. 

Em meio a uma seleta gama de passageiros e tripulação escolhidos à dedos para criar piadas, o serviço de bordo serve peixe estragado. O resultado é muita gente que preferiu não comer carne em estado grave, inclusive os pilotos e o navegador. Como problema pouco é bobagem, as condições climáticas não eram as melhores aquele dia.

Todos em suas posições de acidente!

Dr. rumack, salvando vidas com truques de mágica!
No céu Elaine vai ter que deixar o orgulho de lado e aceitar a ajuda de Ted. Este por sua vez precisa superar seus traumas e pousar um modelo de avião que nunca pilotou. O Dr. Barry Rumack (Leslie Nielsen), é a ajuda em terra, cuidando dos enfermos e fornecendo apoio moral.

Em terra a ajuda vem da descrente equipe do aeroporto de Chicago. O supervisor McCroskey (Lloyd Bridges), logo percebe que precisará de ajuda experiente para auxiliar o pouso e convoca o capitão Rex Kramer (Robert Stack), que só para complicar é um desafeto de Ted. A dupla realmente se esforça para trazer todos em segurança ao chão, mas não esconde nem um pouco sua descrença quanto ao sucesso da tarefa. Mas os destaques aqui ficam por conta do funcionário desobediente e zoeiro Johnny (Stephen Stucker) e da visita dos "abutres da imprensa".

Momento de piada de mal gosto!
É nesse bem estruturado roteiro que cria uma trama concisa repleta de piadas que está o grande acerto de Apertem os Cintos... o Piloto Sumiu!. Não importa o quão absurdas, escatológicas ou preconceituosas são as piadas, incluídas de forma orgânicas, elas mantém a trama em movimento. Muito diferente da coleção de esquetes que se tornaram as paródias cinematográficas atuais, que param a história sempre que precisam fazer graça.

É verdade, muitas piadas são de gosto duvidoso. A grande maioria usa e abusa de estereótipos e preconceitos. Mas eram outros tempos. E sim, sempre podemos, além de rir, enxergar a crítica social contida em cada uma delas. Outra função essencial do humor, que perdemos atualmente. Rir dos nossos erros, de forma a compreendê-los melhor, e mudá-los. É mais que suficiente para um besteirol de 1980, não?

0 comentários: