3 blogueiras + 1 desafio = aprimorar a cinefilia.
DVD, sofá e pipoca,
formando cinéfilas melhores!

quarta-feira, 17 de março de 2010

Alien - o 9º passageiro!

Contando, 1,2,3,4,5,6,7 humanos + 1 gato = 8 passageitos
A imensidão do espaço, sete pessoas numa navezinha, claustrofobia, sono.... Confesso, que achei o início de Alien - O 8º Passageiro um pouco chato, mas a coisa melhora bastante quando a criatura aparece e começa a aula de biologia alienígena.

Conhecer e tentar entender o detalhado e anormalmente rápido ciclo de vida da criatura é a parte interessante, da história. Mesmo porque os clichês (que talvez na época ainda não fossem clichês, sei lá!), impedem as grandes surpresas. Agente sabe quem vai morrer, quando e as vezes até como. Salvo apenas a surpreendente morte (?!) do cientista a bordo Ash.

A história é simples, os tripulantes da nave Nostromo captam uma transmissão e são obrigados pelo protocolo a investigar sua origem. Acabam descendo em um planeta, investigando uma nave abandonada muito esquisita e trazendo de volta mais um passageiro. A partir daí é o típico filme de terror, mostrengo, assombra pessoas presas na casa, digo, nave assombrada.

Assim como um o Alien em si, toda a cenografia é perfeita. Confinando os personagens em um labirinto, cuja claustrofobia é ampliada em contraste com a imensidão do espaço lá fora. Isso sem falar nos computadores obsoletos (que tem coragem de ir ao espaço com aquela coisa?)e as centenas de luzinhas e botões que não servem para nada, mas que eu adoraria apertar.

A incrível sala de luzinhas e botões, quem nunca quis apertar todos?
A Claustrofobia parece humanizar ainda mais os personagens que, diferente da maioria dos filmes de terror, são mais que apenas peças a serem descartadas para evidenciar a protagonista. Eles tem personalidades, funções e reações bem distintas e características. Efeito resultandte de um bom elenco.

Assim como em Tubarão quase não vemos a criatura, medo do desconhecido, o pior deles. A musica estilo 'aumenta nervoso', nos fraz trincar os dentes. E à exceção do cofrinho de Sigourney Weaver, toda a trama é bem amarrada, sem faltas, nem excessos.

O filme seria a combinação perfeita para um suspense/terror de roer as unhas, não fosse a dezena de continuações, e cópias (a maioria bem ruizinha), feitas ao longo de 30 anos, que tornam o filme bem clichê (todo mundo sabia que era o gato!).

Por ultimo: eu adoro o título brasileiro "O 8º Passageiro", mas tenho uma pergunta? E o Gato? Se minhas contas estão certas ele era o 8º passageiro. E apesar de a corrida para salvar o bichano possa parecer insana, a Ripley presisava de alguém para conversar e não enlouquecer no fim do filme. Não pude evitar pensar na velinha solitária que vive com gatos. Além disso, (ainda não vi as sequencias) o gato seria um ótimo veículo para uma continuação. Afinal o Alien passou um tempinho com ele antes do fim, não!

0 comentários: