3 blogueiras + 1 desafio = aprimorar a cinefilia.
DVD, sofá e pipoca,
formando cinéfilas melhores!

quinta-feira, 22 de abril de 2010

Curiosidades do deserto

Thomas Edward Lawrence, também conhecido como Lawrence da Arábia, Aurens ou El Aurens, existiu de verdade. Arqueólogo, militar, agente secreto, diplomata e escritor, o britânico tornou-se famoso pelo seu papel como oficial britânico de ligação durante a Revolta Árabe de 1916-1918. Especialmente após a publicação de uma reportagem sobre a revolta escrita pelo jornalista americano Lowell Thomas e por seu livro autobiográfico Os sete pilares da sabedoria (Seven Pillars of Wisdom).

Todos os homens sonham, mas não da mesma forma. Os que sonham de noite, nos recessos poeirentos das suas mentes, acordam de manhã para verem que tudo, afinal, não passava de vaidade. Mas os que sonham acordados, esses são homens perigosos, pois realizam os seus sonhos de olhos abertos, tornando-os possíveis. - T.E. Lawrence, Os sete pilares da sabedoria
- Lawrence da Arábia recebeu do site IMDB a 27ª colocação na lista de melhores filmes de todos os tempos.

- Quando Lawrence da Arábia estreou, continha 222 minutos, mas devido às reclamações dos donos dos cinemas, o filme foi cortado em 35 minutos. Com "apenas" 187 minutos, poderia haver mais de uma exibição diária. Os 35 excluídos só foram recolocados no filme em 1989, em uma restauração que incluía cenas de bastidores e tomadas alternativas, foi realizada por Robert A. Harris.

- Apesar de ser um filme com quase quatro horas de duração, não tem nenhuma atriz. Todos os atores principais, o elenco de apoio e até os figurantes são do sexo masculino.

- Albert Finney foi a primeira escolha para dar vida Lawrence, papel que acabou ficando com Peter O'Tootle.

- Inicialmente, a trilha sonora seria composta por três compositores, que, depois de ver um trecho do filme,  pularam fora. Maurice Jarre acabou ficando com todo o trabalho de composição da trilha, pela qual ganhou um Oscar.
David Lean na direção de seu épico

- Enquanto preparavam o material para rodar as cenas da sabotagem do trem, todas elas rodadas em locações, a equipe do diretor David Lean terminou encontrando destroços da sabotagem verdadeira, realizada por T. E. Lawrence.

- Omar Sharif passou uma noite inteira no deserto treinando como tirar água do poço para a cena que filmaria no dia seguinte. O ator também perdeu cerca de 9 kg sob o sol do deserto e as roupas escuras de sua personagem.

- Na cena de invasão a Aqaba, Omar Sharif teve receio de cair de seu camelo e ser pisoteado pela cavalaria de 1000 figurantes que os seguiam, já que a poeira impediria que os outros o vissem no chão.  Então,  ele decidiu amarrar-se à cela. Peter O'Toole caiu, e, curiosamente, seu camelo se posicionou sobre ele impedindo que fosse pisoteado pelos cavalos. 

- Em 1990, foi lançado Um homem perigoso (Lawrence after Arabia), sequência do longa de 1962. Você vai poder conferir mais detalhes sobre esse filme ainda essa semana no DVD, sofá e pipoca.

2 comentários:

alleqs disse...

No lançamento brasileiro, assisti 8 vezes a este filme, que junto de Apocalipse Now considero como os dois melhores filmnes sobre guerra da historia do cinema.

Fabiane Bastos disse...

Uau alleqs!!! Que privilégio poder ver esses filmes em tela grande, como deve ser.

Nós só conseguimos no home video mesmo, mas assistimos com gosto. Apocalypse Now também já esteve em cartaz aqui no blog, confira aqui!