3 blogueiras + 1 desafio = aprimorar a cinefilia.
DVD, sofá e pipoca,
formando cinéfilas melhores!

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Curiosidades de Era Uma Vez em Tóquio

Era Uma Vez em Tóquio, é de longe o filme mais dificil de encontrar em nossa lista. Ainda não está disponível em Blu-ray, ou mesmo em DVD. E apesar de estar em todas as listas de filmes obrigatórios, muito pouca informação sobre ele está disponível para cinéfilos brasileiros.


Os negativos originais foram perdidos logo após o filme ficar pronto, por causa de um incêndio no laboratório fotografico na cidade de Yokohama. O longa foi lancado usado uma cópia de proteção.


Yasujiro Ozu e seu colaborador de longa data gastaram 103 duas trabalhando no roteiro. Depois disso a parte de filmagem em edição foi feita extremamente rápido. A produção do filme levou apenas 4 meses!

Ozu tinha um estilo próprio de filmar, com a câmera a altura do chão. Por causa disso todos os sets tiveram que ser construídos com tetos.

Steven Spielberg pegou emprestado esterecurso de Ozu para rodar o clássico E.T. – O Extraterrestre (1982).  Mas no longa de amizade aliênígena a câmera baixa é udada para outros propósitos: traduzir na tela o ponto de vista da criança.

Yasujiro Ozu é aclamado como um dos diretores mais importantes do cinema japonês e da história do cinema. Ele era considerado o cineasta mais japonês do cinema, até pelos próprios japoneses, que o achavam “japonês” demais para o gosto ocidental – o que talvez explique a descoberta tardia deste excepcional cineasta neste lado do globo somente na década de 1960.

0 comentários: