3 blogueiras + 1 desafio = aprimorar a cinefilia.
DVD, sofá e pipoca,
formando cinéfilas melhores!

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Se não aguenta, bebe leite...

Não podíamos passar sem um filme de Clint Eastwood, certo?

"Sim, estremeci quando vi que haveria um filme de faroeste na lista. Não gosto desse tipo de filme porque sempre durmo com as paisagens áridas do interior dos Estados Unidos (que, perdoem-me a ignorância, mas me parecem todas iguais) e acordo assustada com os tiros dos duelos. E sempre os caubóis são carrancudos e bêbados, machões que cospem no chão e atiram mais rápido do que o reflexo do inimigo. Bah!

Mas... Que grata surpresa esse "Os imperdoáveis" (The Unforgiven,1991). Ninguém pode passar indiferente pelos sentimentos do caubói aposentado. O que se faz quando já não se é mais tão jovem para continuar arrumando briga em cada bar e os reflexos estão ficando mais lentos? Ou, como acontece com William Munny, quando se apaixona incorrigivelmente e se torna, com o tempo, um senhor com dois filhos pra criar? A vida no Velho Oeste não é mole não.

Little Whiskey: nem pense que lá é terra de ninguém

E também não acredite em quem diz que lá é uma terra-de-ninguém. Não vá pensando que você pode fazer tudo, inclusive retalhar o rosto de uma prostituta, que vai sair impune. Lá em Big Whiskey quem manda é Little Bill (Gene Hackman, soberbo), o xerife. E não tem English Bob (Richard Harris, em participação pequena - mas brilha em cada minuto em cena) que o faça perder o controle da situação. Em terra onde todo mundo quer cantar de galo, quem não fica atento perde o posto. E Little Bil não é o tipo de cara que gosta de perder..."

Isso é o que eu havia escrito logo após ter assistido ao filme, mas não tive tempo de terminar o texto e publicá-lo aqui. Já faz um tempinho que vi o filme (foi durante a semana em que o filme estava em cartaz no blog, só não tive tempo hábil de postar naquela época), porém a lembrança veio nítida aos primeiros toques do teclado quando vim escrever este post. Lembro de ter gostado do filme, apesar de achar um tanto lento. Mas confesso que não foi o suficiente para tirar minha "aversão" aos faroestes. Foi válido por ser o meu primeiro filme no Velho Oeste e por eu entender porque as pessoas aclamam tanto Clint Eastwood: ele é perfeito para o papel, taciturno, durão, boa gente, perigoso. Uma agradável experiência desse ano no blog.

0 comentários: