3 blogueiras + 1 desafio = aprimorar a cinefilia.
DVD, sofá e pipoca,
formando cinéfilas melhores!

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Legal, vamos de novo?

Feito criança em parque de diversão!
Eu devia ter feito um rascunho! Passei o ano inteiro pensando em coisas que deveria contar da experiência DVD, sofá e pipoca, quando (e caso) chegássemos ao fim do primeiro desafio, e agora não sei por onde começar. Vou começar por isso: foi uma experiência e tanto!

Começamos como uma maneira de finalmente assistir aqueles clássicos, que todo cinéfilo deve assistir, mas vivíamos adiando por uma razão ou outra. Acabamos descobrindo obras primas das quais nunca ouvimos falar, adquirindo novos filmes favoritos. Além de rever aqueles que já amávamos, mas agora com a possibilidade de opinar, discutir, e descobrir curiosidades.

Curiosidades! Uma história a parte. Com elas é possível aprender tanto sobre cinema, quanto aprendemos assistindo os filmes. E aprendemos muito! Foi tanto conteúdo, tanta novidade que ainda não tenho certeza se assimilei tudo, mas sei que chego lá.

O grande desafio para quem é fã de cinema, e para esta blogueira que vos escreve, é encontrar alguns títulos. Buscar filmes antigos é um desafio, especialmente aqueles poucos conhecidos. E o título mais antigo de nossa seleção nem chegou a um século de existência ainda (O Nascimento de uma Nação é de 1915). O mais divertido era ver a cara de interrogação do atendente da locadora quando pedia filmes dos quais obviamente não tinha cópia, ou pior nunca sequer tinha ouvido falar.

Acima de tudo, uma coisa ficou evidente: para sermos bons cinéfilos, ou melhor um bom espectador de qualquer tipo de arte,  temos que aprender a separar gosto pessoal da análise. Algo difícil de alcançar, mesmo assim acho que agora já percebo a diferença entre um filme ruim de verdade, e um que apenas não é bom para mim.

Apesar de ser impossível gostar de tudo foram poucos que não gostei, embora muitos eu não vá assistir novamente tão cedo. Algumas ótimas surpresas, especialmente entre os filmes que nunca ouvi falar.

Adorei descobrir " mãe" das comédias românticas que cresci assistindo, com Quando Mais Quente Melhor. Aprendi a gostar de faroestes, e que monotonia e filmes antigos nem sempre caminham juntos. Percebi que muitas coisas que já assisti fazem referência à A Felicidade Não se Compra. Tenho a ligeira impressão que ainda não tenho maturidade (ou seria sensibilidade) suficiente para entender

Amo muito tudo isso!
Descobri que nossa percepção muda com o passar do tempo. E que filmes de máfia não são meus favoritos. Além de muitas outras coisas que não estão necessariamente ligadas aos filmes, mas às suas histórias. Ficção, ou não, elas refletem, e muito, o mundo fora da tela e ensinam algumas coisinhas que podem ser aproveitadas por quem está apenas sentado no sofá curtindo a viagem.

Se quem lê viaja, quem vê filmes faz o mesmo só que muito mais rápido! E do mesmo modo que acontece com as aventuras das páginas, depois de visitar mundos distantes (ou não), conhecer histórias e personagens incríveis, mal podemos esperar para começar tudo de novo.

Adorei poder fazer parte deste projeto, e conhecer os 50 títulos da nossa variada e bem selecionada lista. Embora tenha sentido falta de alguns títulos (ideias para o novo desafio surgindo). Discutir temas que adoro com minhas amigas e companheiras de blog, e com leitores foi a parte mais divertida. Mal posso esperar pelo que "o projeto para formar cinéfilas melhores" nos reserva em 2011.  

Uma coisa é certa: eu já me sinto uma cinéfila melhor e vocês?

0 comentários: