3 blogueiras + 1 desafio = aprimorar a cinefilia.
DVD, sofá e pipoca,
formando cinéfilas melhores!

sábado, 8 de janeiro de 2011

O que aprendi em 2010

Hoje me peguei pensando: “foi um ano ótimo, a experiência do blog foi supergratificante... mas o que eu realmente aprendi aqui?” Então, comecei a fazer uma lista (céus, essa mania de listas ainda vai acabar comigo!), para testar minha memória: quais os nomes dos 50 filmes que vimos? Sem mentira, lembrei de imediato de 36 títulos, a maioria logo do iniciozinho do ano. Fiquei espantada com o número: 36?! Deus sabe o quanto minha memória é ativada aleatoriamente, portanto gravar isso tudo de informação foi uma conquista. E mais do que só lembrar dos títulos, eu lembrava dos filmes! Cenas inteiras, falas de personagens, reações que tive no sofá assistindo ao filme na telinha [só eu sei o quanto me retorci no sofá vendo aquele alienígena nojento de Alien, o oitavo passageiro]. E sabe o que é mais engraçado? Os filmes que eu já havia assistido antes foram os que ficaram para depois, só lembrei quando eu peguei a lista e vi o nome escrito. Filmes mais famosos, como Pulp fiction, King Kong e Star Wars ficaram nessa parte da lista. Inclusive aqueles que eu sempre via e revia, como O exterminador do Futuro 2, Indiana Jones e os caçadores da arca perdida e Curtindo a vida adoidado.

Tomara que eu não tenha despertado a fúria desse aí...


Foi aí que me dei conta do quanto aprendi aqui. Nesse espacinho de blogosfera que nos cabe, vi filmes que me emocionaram, me surpreenderam, me deram sono, me deram nojo, me assustaram, me alegraram. Filmes que quase ninguém vê, quase ninguém ouviu falar, que não se encontram assim tão fácil nas locadoras. E foram esses filmes os que mais me marcaram.

Clarence, o anjo da guarda mais fofo do mundo!

De longe, posso dizer que A felicidade não se compra é o meu xodó, o meu mais querido da lista. Disputa o primeiro lugar com o padrinho (O poderoso chefão), que me surpreendeu e conseguiu me deixar sem palavras (coisa rara de acontecer...). Dois clássicos infantis que eu nunca tinha visto, Branca de neve e Mágico de Oz também ficaram no coração. Gargalhei com gosto vendo filmes simples, como O diabo a quatro e Luzes da cidade, feitos somente para isso: divertir, de forma ingênua e genuína. Me vi encarando com bravura filmes sobre alienígenas e faroestes, dois gêneros dos quais não sou muito fã. E não é que eu gostei? Até do filme de zumbis, aquelas “adoráveis” criaturas eu gostei. Sobrevivi ao ataque de um tubarão faminto, a um deserto escaldante, à canção Blue Velvet (fiquei com a música na cabeça por horas), a um exterminador implacável (que agonia, aquele ‘troço’ não morre!), às nouvelle vague e ao surrealismo de Um cão andaluz. Não foi fácil de entender esses dois últimos, e ainda não sei se gostei ou não deles. Mas quem disse que precisamos de todas as respostas?

Bluuuuuuuuuuuue veeeeeeeeeeeeeeeeelveeeeeet...

Vi meu primeiro filme de Alain Delon (Rocco e seus irmãos), John Wayne (Rastros de ódio) e de Marilyn Monroe (Quanto mais quente, melhor), fiquei ainda mais fã de Marlon Brando e Robert DeNiro, viajei no tempo e no espaço, ouvi vários idiomas (até japonês), vi amores impossíveis, vidas extraordinárias e simples, histórias de superação e amizade... É tanta coisa que, se for explicar tudo bonitinho, vou levar um dia inteiro falando e não vou conseguir dar conta..

Uh lalá! Imagina isso lá na minha humilde residência...

Portanto, só tenho o que comemorar nesse nosso primeiro ano de blog. Além de termos conseguido terminar nossa lista, finalmente vi filmes que estavam na minha lista de ‘preciso ver’ (leia-se Casablanca, Janela indiscreta e Lawrence da Arábia) mas que eu nunca via e revi outros que amo, além de ter me surpreendido com muitos outros e adicionado alguns para minha lista de favoritos. Apesar de pequenos percalços e de, às vezes, não conseguir dar conta do filme na semana em que estava em cartaz, corremos atrás para manter o blog atualizado, sempre um post por dia – pelo menos. Então, além de histórias interessantes, esse ano do blog teve muito trabalho em equipe e paixão por cinema. Acho que nossos objetivos, de assistir um filme por semana e de nos tornarmos cinéfilas melhores foi atingido. E ainda ganhamos um selo Dardos, uma honra enorme já que fazemos com tanto carinho. A vocês acompanharam tudo, nossos sinceros agradecimentos. 2011 c hegou com tudo, e nós estamos com fôlego renovado para o nosso próximo desafio. Então renove seu estoque de pipoca, porque o ano está só começando!

Já estão todos se acomodando no sofá, e você?

0 comentários: