3 blogueiras + 1 desafio = aprimorar a cinefilia.
DVD, sofá e pipoca,
formando cinéfilas melhores!

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Vai carona?

Sinopse sisuda: Doc Brown (Christopher Lloyd) consegue criar um dispositivo que, acoplado a um automóvel DeLorean, o transforma em uma máquina do tempo. Porém, no dia em que testa seu invento, é alvejado por terroristas líbios e é seu pupilo, Marty McFly (Michael J. Fox) quem acaba testando a máquina e, em vez de ir para o futuro, acaba voltando para 1955. No passado, McFly tem que encontrar com o Doc mais jovem para poder voltar para o futuro.


Sinopse mais legal: o mais divertido filme sobre viagens no tempo já produzido no cinema. Além de ter um dos mais simpáticos cientista maluco da história, De volta para o futuro (Back to the future, 1985) tem também um dos mais carismáticos heróis adolescentes dos anos 80 - Marty McFly. Um cara descolado, boa pinta, que namora uma tremenda gata, mas que tem um pai banana e uma mãe namoradeira que depois se tornou pudica e controladora (ok, reconheço que meu vocabulário está, digamos, datado). Os dois não tem nadaem comum e ninguém conseguiria imaginá-los num mesmo ambiente, mas eles são muito amigos. E com ambos em cena, nem dá para desgrudar da tela. O roteiro é tão ágil que não podemos nos dar ao luxo de perder nenhum detalhe. Um conselho que George (Crispin Glover, tão bem no papel que chega a dar dó) vai passar para o filho no final do filme foi o mesmo que ele ouviu do próprio filho no dia do baile, quando começou a namorar Lorraine (Lea Thompson), que foi dado por Marty porque este havia ouvido do pai. De dar nó na cabeça, se você não prestar atenção.

Lorraine e Marty, em 1955: assanhada, a moça...

Mas nem é uma tarefa tão dificil assim: os personagens são muito carismáticos, a história é leve e divertida, as situações são absurdas (quando você, rapaz, imaginaria que sua mãe fosse um dia te dar mole?), porém conexas e hilárias. Redescobrir a cidade de Hill Valley em 1955, junto com Marty, é uma delícia! Uma produção supercaprichada, efeitos especiais ainda dignos e pequenos detalhes históricos (então foi Marty quem "inventou" o rock 'n roll como nós conhecemos hoje, né?) que vão tornar sua tarde mais gostosa. Apesar de acreditar que quase ninguém nunca ouviu falar desse filme, insisto em deixar meu recado: vale muito a pena ver (e rever, por vezes incontáveis) essa adorável história. Ainda mais quando sabemos que tem sequências tão boas quanto o original!


Marty, Einstein e Doc: tem espaço pra mais um?

Aprendi que viajar no tempo pode ser perigoso, necessário, estiloso, estranho - mas, acima de tudo, deve ser muito divertido. Vai dizer que você também não ia querer uma carona naquele DeLorean?

0 comentários: