3 blogueiras + 1 desafio = aprimorar a cinefilia.
DVD, sofá e pipoca,
formando cinéfilas melhores!

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Curiosidades e prêmios de Cleópatra

Cleópatra é considerado o filme mais caro de todos os tempos. Sua produção estimada em 2 milhões de dólares acabou custando incríveis US$ 44 milhões. Segundo valores atualizados em 2005, o filme custou 286,4 milhões de dólares.

Com o relativo fracasso comercial, quase levou à bancarrota a 20th Century Fox, produtora e financiadora do filme. A Fox escapou da falência graças ao inesperado sucesso de uma produção pequena chamada A Noviça Rebelde (1965).Levou anos até que Cleópatra conseguisse recuperar o dinheiro que foi investido

O diretor Joseph L. Mankiewicz chegou a propor à Fox que Cleópatra fosse dividido em dois filmes, César e Cleópatra Marco Antônio e Cleópatra, ambos com aproximadamente 3 horas de duração. A Fox não concordou com esta proposta, decidindo lançá-lo no formato como o conhecemos hoje, com mais de 4 horas de duração.

De acordo com o diretor Joseph L. Mankiewicz algumas das melhores cenas do filme acabaram sendo cortadas de sua edição final. Cerca de 90 a 120 minutos ficaram perdidos na sala de edição. Foi também lançado em uma versão ainda menor, com 194 minutos.

Em 1958 a atriz Joan Collins chegou a ser contratada para protagonizar Cleópatra. Os vários atrasos na produção fizeram com que a atriz estivesse indisponível quando o filme finalmente entrou em produção. Stephen Boyd, que interpretaria Marco Antônio, e Peter Finch, o primeiro intérprete de Júlio César, também precisaram desistir dos papéis por causa dos atrasos.

As filmagens de Cleópatra tiveram início em 1960.

Audrey Hepburn chegou a ser cotada para interpretar Cleópatra, após a desistência de Joan Collins.

Elizabeth Taylor foi o 1ª intérprete de Hollywood a receber US$ 1 milhão por um único filme, por sua participação em Cleópatra. O recorde anterior era de Audrey Hepburn, que recebeu um salário de 750 mil dólares por Bonequinha de Luxo.

Assim que começaram as filmagens na Inglaterra Elizabeth Taylor adoeceu. Como praticamente todas as cenas necessitavam da presença de Taylor, a produção foi paralisada até que ela se recuperasse. Este período durou cerca de 6 meses.

Durante o período em que Elizabeth Taylor se recuperava o até então diretor Rouben Mamoulian pediu demissão de seu cargo, já que havia assumido outros compromissos para os meses seguintes.

Este é o 1º de 11 filmes em que Richard Burton e Elizabeth Taylor trabalham juntos. Os demais foram Gente Muito Importante (1963), Adeus às Ilusões (1965), Quem Tem Medo de Virginia Woolf? (1966), A Megera Domada (1967), Dr. Faustus (1967), Os Farsantes (1967), O Homem que Veio de Longe (1968), Ana dos Mil Dias (1969), Unidos pelo Mal (1972) e Divórcio Dele, Divórcio Dela (1973).

Foran construídos 79 cenários para o filme.

Durante as filmagens em Roma milhões de dólares foram gastos para repôr equipamentos de filmagens e os próprios cenários do filme, que foram roubados.

Ainda em Roma um grupo de mulheres que trabalhava como serventes e escravas de Cleópatra no filme entrou em greve, solicitando proteção contra os ataques amorosos dos extras italianos. O estúdio teve que contratar segurança especial para proteger os extras.

John DeCuir teve que reconstruir o gigantesco set de filmagens de Alexandria três vezes.

Durante Cleópatra Elizabeth Taylor trocou de figurino 65 vezes, sendo até hoje um recorde para um filme feito para o cinema.

Prêmios

Oscar 1964 (EUA)

  •  Melhores efeitos especiais
  • Melhor fotografia - colorido
  • Melhor figurino - colorido 
  • Melhor direção de arte - colorido.

Indicado nas categorias de melhor filme, melhor ator (Rex Harrison), melhor edição, melhor trilha sonora e melhor som.

Globo de Ouro 1964 (EUA)
Indicado nas categorias de melhor filme - drama, melhor diretor, melhor ator - drama (Rex Harrison) e melhor ator coadjuvante (Roddy McDowall).

0 comentários: