3 blogueiras + 1 desafio = aprimorar a cinefilia.
DVD, sofá e pipoca,
formando cinéfilas melhores!

quinta-feira, 7 de julho de 2011

O bicho tá pegando!

Harry Potter e a Câmara Secreta (Harry Potter and the Chamber of secrects, 2002) é o segundo filme do bruxinho e o último com o trio de atores principais aina com cara de criança. A história começa a ficar mais interessante, todos os principais personagens já haviam sido apresentados no filme anterior, já se conhece o interior do castelo e o medo causado por Você-sabe-quem. Novos personagens são apresentados aos poucos, como o estabanado e maltrapilho elfo doméstico Dobby (totalmente digital, muito bem feito por sinal) e o professor-galã Gilderoy Lockhart (Kenneth Branagh) e apesar da enorme quantidade de gente na tela, nao dá pra se perder. O foco é Harry, sempre. Então vemos o bruxinho descobrir um talento: ofidioglossia. Este palavrão é só pra dizer que ele tem um dom muito raro - poder de falar com cobras. E, não por acaso, esse dom vai ser muito útil na missão de Harry...

O terror da Câmara Secreta é justamente um basilisco, uma espécie de cobra gigante sedenta de sangue. Tinha que ser o bichinho de estimação de quem? Óbvio, do jovem Voldemort, que um dia fora aluno de Hogwarts. Ele arrumou um jeito de novamente entrar na escola, através de um diário mágico, que acabava por sugar a energia vital de quem escrevesse nele - o que fortalecia o pedacinho de vilão contido ali. Foi Gina Wesley (Bonnie Wright, em sua primeira aparição com falas na série) quem acabou levando o tal diário para a escola e acidentalmente abriu a câmara. Alunos e outros habitantes do castelo foram petrificados. A escola é ameaçada de ser fechada por não haver mais segurança para os alunos e Harry decide que não pode deixar isso acontecer. Sua vida é aquela escola, aquele mundo. Nessa determinação ele, junto com Rony (Rupert Grint) e Hermione (Emma Watson) acabam solucionando o mistério.

Várias coisas legais acontecem nesse filme e algumas vão afetar toda a série. Aqui começamos a perceber a real maldade de Voldemort, a amizade indissolúvel do trio, y otras cositas más. Mas a qualidade maior desse filme é que ele é muito divertido. Dobby se castigando por quase falar mal de seus amos e quase matando Harry com um balaço enfeitiçado; o carro voador que, depois de apanhar do Salgueiro Lutador, vai viver na Floresta Proibida; Branagh brilha nas poucas cenas em que seu fanfarrão Lockhart aparece; Rony e o ataque histérico ao se ver cercado por aranhas carnívoras gigantes (essa eu tenho que falar, tenho tanto medo de aranha quanto ele - e teria ainda mais se forem carnívoras e gigantes). Tudo ainda bem colorido, ainda sem maiores medos. O bicho comça a pegar mesmo é no próximo filme, Harry Potter e o prisioneiro de Azkaban. Mas isso é papo pra outro post...

0 comentários: