3 blogueiras + 1 desafio = aprimorar a cinefilia.
DVD, sofá e pipoca,
formando cinéfilas melhores!

sábado, 7 de abril de 2012

Prevendo o futuro!

Durante essa semana, li em algum lugar que Chaplin queria fazer um retrato de como imaginava que seria o futuro, ao produzir Tempos Modernos. Na minha humilde opinião ele acertou em cheio! 

O Vagabundo conseguiu um trabalho em uma grande indústria, mas acaba por conseguir um colapso nervoso graças as exigências da produção em massa (stress no trabalho, doença contemporânea é?). Quando se recupera já não há trabalho. Tentando sobreviver, é acusado injustamente, arruma e perde empregos, e faz amizade com uma moça. Gamine (Paulette Goddard), sozinha desde a morte do pai, e suas irmãs serem levadas pelo serviço social, a moça assim como vagabundo só quer sobreviver ao caos de seu tempo.

Ele acertou em cheio! Desde o trabalho mecanizado, repetitivo, stressante que transforma os operários em um "rebanho de robôs" (embora as leis trabalhistas tenham nascido e evoluído desde então, ainda existe muita gente em condição semelhante ou pior), até a vigilância constante, já que os operários da fábrica são constantemente observados por câmeras e recebem ordens de telas. Só não consegui descobrir se as semelhanças com certos reality-shows e obras literárias foram meras coincidências. 

Difícil até acreditar que é uma obra fortemente influenciada por seu tempo. Os anos difíceis após a crise de 1929 nos EUA. Critica o trabalho alienado, a diferença de classes, o capitalismo, entre vários outros "ismos", daquela e desta época. Sempre com leveza, por mais dura que seja crítica. Por mais complicada ou triste que seja a situação. 

Eles passam fome, são explorados, perseguidos, presos, mesmo assim não desanimam, nem perdem a alegria. Mesmo depois de dar tudo errado, seguem pela estrada sorrindo, literalmente, em busca de novas oportunidades.

Tarefa quase impossível para maioria de nós - sorrir haja o que houver - mas um incentivo para continuarmos tentando.  Mensagem mais que perfeita para o último filme do Vagabundo, de quem ouvimos a voz pela primeira vez. Uma despedida e tanto, o jeito é fazer jus ao longa e ao menos tentar simplesmente sorrir!

3 comentários:

Alysson Mello disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Alysson Mello disse...

adoro o trabalho do chalin chaplin acho que ele foi um gênio daquela geração, os filmes dele são ótimos eu adorei a sua postagem! o seu blog está nos meu blogs parceiros coloca meu banner no seu blog para fecharmos uma parceria entre blogs? aguardo respostas! meu blog é: http://umcinefiloemjampa.blogspot.com

Fabiane Bastos disse...

Já colocamos, mas seu botão está com defeito.