3 blogueiras + 1 desafio = aprimorar a cinefilia.
DVD, sofá e pipoca,
formando cinéfilas melhores!

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Nerd pride

Hipsters, porque foram muito nerds antes de ser modinha
Ok, a história gira em torno de Samantha Baker (Molly Ringwald, musa das comédias românticas adolescentes dos anos 80). Mas os nerds/geeks são quem roubam a cena. Seria John Hughes um visionário? Já naquela época ele mostrava o quanto os nerds são divertidos e legais, mesmo que o que os jovens queriam mesmo era serem descolados. Os sonhos de dois jovens tão diferentes (a menina inteligente que não é popular e o nerd excluído por ser nerd) são o mote de Gatinhas e gatões (Sixteen candles, 1984). Ambos lutam para ter seu dia de glória num dia especialmente ruim para a garota...


Samantha, disfarçando para olhar o bonitão: quem nunca?
Samanta acorda no dia do seu aniversário de 16 anos, uma data que ela esperava que fosse mágica. Mas as coisas não saem como ela sonhara: sua irmã Ginny (Blanche Baker, divertida) está prestes a se casar, então toda a família de Samantha esqueceu do aniversário dela. Após a terrível frustração de se sentir invisível dentro da própria casa, o dia ainda vai piorar pra Samantha. Na escola, durante um teste chatíssimo, ela responde a um questionário pessoal, Samanta acaba revelando que é apaixonada por Jake Ryan (Michael Schoeffling, gato). Ao passar a lista para a amiga, é o próprio Jake é quem pega o papel. Ele é ninguém menos que o cara mais bonito da escola, aquele que namora a garota mais linda e popular. Samantha sabe que não tem nenhuma chance com ele, mas não pode evitar se apaixonar por ele. Só tem um probleminha - ele nem faz ideia de que ela existe. O que ela nem desconfia é que Jake está interessado sim, já que a namorada perfeita que ele tem é uma patricinha que só sabe ficar bêbada e gosta de exibir o namorado bonitão.

Long Dong, provavelmente o aluno de intercâmbio mais louco do cinema
Voltando para casa, mais uma provação. O geek mais mala e sem noção da escola resolve dar em cima dela. Geek (Anthony Michael Hall, excelente) é aquele tipo de cara que insiste, persiste e não desiste. Mesmo levando os piores foras. Quando chega em casa, seus avós estão instalados no seu quarto e nem eles lembraram do seu aniversário. Os outros avós, só sabem ser constrangedores (quem nunca, né?). Pensando em encontrar refúgio no quarto do irmão mais novo, ela encontra Long Duk Dong (bléeeeeeem!) (Gede Watanabe, hilário), um chinês aluno de intercâmbio que estava com os avós. É ele quem acaba indo com Samantha para a festa da escola e, surpreendentemente, já chega aloprando: arruma uma namorada atleta, fica bêbado, consegue ser mais popular que os nerds... Long Dong (bléeeeeeem!) é o cara. Na festa, Geek volta a dar em cima de Samantha, ainda mais depois de ter apostado com os outros amigos supernerds (por 12 disquetes, que custavam uma fortuna!) que conseguiria transar com ela. O máximo que ele consegue é levar sua calcinha emprestada para mostrar aos outros nerds como um troféu. Simplesmente hilária a cena. Samantha só aceitou emprestar a peça de roupa porque Geek conversou com ela sobre Jake, que o abordou um pouco antes na pista, perguntando por ela.

Ei, moça! Ele tá te dando mole!
Após saber do interesse de Jake, Samantha fica nas nuvens, imaginando como abordá-lo. Ao chegar a tão esperada hora, ela foge envergonhada. E Jake fica achando que ela o acha um idiota. Saindo da escola, foram todos para casa de Jake, continuar a festa. Long Dong (bléeeeeeem!) está lá com a namorada grandalhona, bêbado feito um gambá, recebendo os nerds na casa. Caroline (Haviland Morris), a namorada de Jake, está tão bêbada que nem se aguenta em pé. Enquanto Jake fica buscando informações sobre Samantha e consegue o telefone da casa dela, Caroline vai atrás dele e acaba ficando com os cabelos presos na porta. As amigas tão bêbadas quanto ela vão em seu auxílio, e cortam o tufo de cabelo que a mantinha presa na porta. Dá até uma dor no coração quando a gente vê o estrago no cabelo perfeito dela. Depois de acabada a festa, Jake encontra Geek e tem uma conversa séria com ele, querendo mais informações sobre Samantha. Ele admite que gosta dela, que não quer mais saber da namorada. E ainda faz a alegria do nerd quando o manda levá-la para casa no Rolls Royce do pai.

Caroline e Geek, depois da festa: Anthony Michael Hall rouba a cena
Sem conseguir maiores resultados por telefone (os avós de Samantha agiram em defesa da neta, não iam deixar que um mau caráter que só quer saber de sexo e que liga no meio da noite para a neta fosse dormir sem ouvir poucas e boas...), ele resolve ir à casa dela. Lá, Long Dong (bléeeeeem!) avisa que ela está casando - passando a informação errada, lógico. Quem estava casando era a irmã, que tinha tomado um pouco de remédio para cólicas a mais do que deveria e estava, digamos, meio alta durante a cerimônia. Jake chega às portas da igreja e acaba encontrando, por acaso, com Geek e Caroline. Eles tinham passado a noite juntos depois de terem passado na casa dos outros amigos de Geek, só para fotografar a conquista do 'senhor dos nerds'. Caroline descobre que podia ficar bem sem o namorado bonitão, então Jake fica finalmente livre para convidar Samantha para sair. Ela quase não acredita na sua sorte quando ele aparece e a convida para sair. Então, finalmente, seu aniversário trouxe algo de bom para ela. A sós, com um bolo de aniversário com as dezesseis velas acesas, ela encontra seu final feliz.

Joan Cusack não abre a boca o filme inteiro, mas morri de rir com ela
 O filme é uma delícia de ver. A ideia é simples, o roteiro é amarradinho, as situações são cômicas sem serem escrachadas. As interpretações inspiradas de Anthony Michael Hall e Gede Watanabe são das coisas mais preciosas do filme. Seus personagens são naturalmente divertidos, mas as expressões deles são fantásticas e superdivertidas. Molly Ringwald é fofa até dizer chega, e Blanche Baker faz uma irmã mais velha muito doida - ora egoísta e entediada com a irmã, ora chapada de remédios e estragando o próprio casamento.  Bom reconhecer meus queridos John Cusack, novinho, na trupe dos nerds, e a irmã Joan, que faz uma ponta como a nerd com colete corretor de postura (que rendem boas cenas, meio desconexas com a história em si, mas que fazem entender as dificuldades que os jovens passam). A família de Samantha é super desajustada, até mesmo os avós fofos que reclamam das dores da velhice, mas todo mundo tem alguém na família que lembre um pouquinho um deles. A situação 'garota legal, não muito bonita e super inteligente se apaixona pelo bonitão da escola, mas ele não dá a mínima pra ela' é lugar comum, mas também é muito típica. É uma realidade, mesmo. O final feliz é bem previsível, mas é fofo. E duvido que não haja quem tenha torcido para Samantha ter se dado bem depois de tanta coisa ruim que aconteceu no dia de aniversário dela... Também é legal ver que Hughes tratou da própria realidade nerd, de ser excluído e incompreendido pelas pessoas normais, mas eles também sabem se divertir. Nessa época, ninguém queria ser tachado de CDF, de nerd. Dá pra ver que até as pessoas que não eram populares não queriam se misturar com eles, coitados. Hoje é muito modinha. Os nerds continuam os mesmos, foi a sociedade que mudou a sua visão sobre eles. Uma delícia rever um filme tão divertido, despretensioso e leve, que faz lembrar que ainda somos jovens querendo realizar nossos sonhos.

2 comentários:

Hugo disse...

Ótimo clássico teen dos anos oitenta.

Grande John Hughes.

Abraço

Fabiane Bastos disse...

Dá até saudades da década né!

Valeu pela visita.