3 blogueiras + 1 desafio = aprimorar a cinefilia.
DVD, sofá e pipoca,
formando cinéfilas melhores!

domingo, 7 de julho de 2013

"I love you baby, nananana..."

Patrick Verona (Heath Ledger) derretendo corações: o de Kat e o nosso
Não tem jeito, provavelmente essa vai ser a primeira coisa que você vai lembrar quando ouvir falar de 10 coisas que eu odeio em você (10 things I hate about you, 1999). A cena é emblemática e a canção gruda no ouvido, mesmo que você só saiba o primeiro verso - e sim, você provavelmente vai cantá-la ad eternum depois que terminar de assistir. O filme é um sucesso até hoje entre adolescentes e jovens adultos que foram adolescentes naquele fim de 1990, uma década bem esquisita - entre a louca e kitsch década de 1980 e o status cool (lancei tendência?) das seguintes décadas do século XXI. Saudosistas de plantão adoram, mas mesmo quem não é adora também - aliás, tô pra achar alguém que não curta esse filme. 10 coisas é uma adaptação inteligente de uma peça teatral inglesa para uma escola americana, respeitando certos clichês do gênero comédia-romântica-adolescente-passada-no-colégio, mas traz algo novo. E boa parte do mérito fica na dupla principal de atores, Julia Stiles e Heath Ledger. Jovens talentosos que só começavam carreiras espetaculares e esbanjavam talento

Os Stratford e sua única regra: Bianca (Oleynick) só namora depois que Kat (Stiles) namorar
O filme começa com Cameron (Joseph Gordon-Levitt, fofuxo desde sempre) se apaixonando por Bianca (Larisa Oleynick), a novata mais bonita e descolada do colégio que, obviamente, não está nem aí pra ele. Ela só tem olhos para o bonitão fútil Joey (Andrew Keegan), que só quer saber de manter sua pose de galã. Então começa a jornada de Cameron para ter uma chance com Bianca: para que ele pudesse levá-la ao baile, ele teria que arrumar um par para a irmã dela, Kat (Julia Stiles, perfeita). O que não seria uma tarefa fácil, já que ela era uma pessoa, digamos, difícil. Antissocial, feminista, cheia de atitude, Kat é o tipo de garota que assusta os meninos mais normais e espanta a pontapés os mais ousados que tentem se engraçar para o lado dela. Bianca é revoltada com a irmã mais velha, que não se importa nem um pouco com a vida social da escola - que é importantíssima para ela, e o pai das meninas adora a postura de Kat. Viúvo, obstetra e pai de duas adolescentes com os hormônios a mil, é lógico que um pai preocupado como Walter Stratford (Larry Miller, excelente) ia gostar que as filhas se mantivessem a quilômetros de distância de qualquer rapaz.

Michael (Kumholf), Patrick (Ledger) e Cameron (Gordon-Levitt): planos para conquistar as irmãs Stratford
Mas acontece que os jovens não tem limites. Joey quer sair com Bianca porque ele é a 'novinha' mais gata do pedaço e ainda apareceu um maluco com um plano interessante para que ele conseguisse driblar a marcação cerrada do pai dela. Michael (David Krumhold) arma um plano perfeito para que Cameron tenha uma chance de levar Bianca ao baile e ganhar o coração da moça: eles precisam que alguém seja corajoso o bastante para ser o par de Kat no baile, só com a companhia dela o pai vai autorizar a ida dela ao baile e usa a grana de Joey para isso. E, obviamente, deixa ele resolver o problema de falar com o único cara que poderia topar enfrentar a fera. Ele. O bad boy da escola. Aquele cara, cercado de histórias sinistras, que tem cara de que come patê de fígado de engraçadinhos feito em casa (por ele mesmo) todo dia no café da manhã. Patrick Verona (Heath Ledger, perfeito), o australiano misterioso que talvez fosse louco o suficiente para aceitar uma grana para sair com Kat.

Bom, se era pra domar uma louca, então era só achar um louco mais louco que ela, certo? Foi o que eles fizeram. E lógico, era preciso mais do que somente um dia para fazer a moça ceder, então eles desafiaram o bad boy a conseguir e iriam pagar a ele pra isso. Bem, um pouco de agito não ia fazer mal, não é? E no fim das contas, a garota nem era feia... Então Patrick partiu para o ataque a Kat enquanto Cameron tentava se aproximar de Bianca estudando francês. Parte 1 do plano, check! Patrick encontra bastante resistência da parte de Kat, mas ele não vai desistir fácil. Ele sabe jogar pesado. Cantar em público para ela, com direito a uma banda marcial acompanhando e interrompendo o treino de futebol dela é pinto! De um jeito meio intencional, meio sem querer, ele acaba por se aproximar dela, por descobrir o que Kat gosta e anseia da vida. E aos poucos, o que era para ser só um jogo de interesses, acabou se tornando algo mais sério e quanto mais se conheciam, mais se aproximavam. Kat finalmente abriu seu coração para Patrick, mas algo começou a desandar.

Cameron e Bianca: depois de tanto esforço, enfim juntos
Suspeitando da  insistência de Patrick a levá-la para o baile, Kat briga com ele e resolve não ir. Bianca enlouquece, e na tentativa de acalmar a irmã, Kat conta para ela porque tem tanta raiva de Joey: eles já haviam se envolvido no passado, mas ele a largou depois de terem transado e ela não queria que a irmã passasse pela mesma situação. Irritada com a irmã, Bianca não quer mais saber de conversar com ela porque, apesar de entender os motivos de Kat, ela ainda a estaria privando de viver a vida por si. E é isso o que amolece o coração de Kat. Mesmo contrariada, ela resolve ir ao baile para dar uma chance à irmã. Por sua vez, Cameron também não esteve parado e resolveu finalmente pedir à Bianca para ir ao baile com ele - o que ela aceitou, já que não estava mais interessada em Joey. Final feliz? Ainda não. Joey, não satisfeito de perder Bianca para Cameron, resolve estragar a festa para eles: acaba contando o que ele fez para conseguir que Patrick levasse Kat e ela fica horrorizada. Sai correndo e nunca mais quer ver a cara dele na vida. Bianca é quem se vinga de Joey, por ela e pela irmã: acerta dois socos na cara dele e ainda aceita namorar com Cameron. 

Se pra Bianca o baile foi tudo o que ela sempre sonhou, para Kat foi um desastre: sentindo-se enganada e uma idiota por ter aberto o coração para um cara que só estava saindo com ela porque foi pago pra isso, ela não queria saber de tentar se socializar de novo. Cada vez mais triste e isolada, seu pai decide realizar um de seus sonhos para tentar alegrar a menina e paga para ela ingressar em um curso de artes em outra cidade. Ainda faltavam algumas aulas antes do fim do período, e em uma das classes Kat se prontificou a cumprir uma atividade que só ela havia feito em casa (como sempre ocorria na aula de literatura): ler um poema em classe. Então ela lista as 10 coisas que ela mais odeia nele (nem precisa dizer pra quem esse poema foi endereçado não é?) e esta é, talvez, a cena mais fofa do filme. Com os olhos cheios de lágrimas e declamando de cor, ela se declara para Patrick sem usar uma única vez a frase 'eu te amo'. Ele, reservado, não se manifesta enquanto ela fala. Ele sabia que era culpado e que tinha causado toda aquela dor a ela. Indo embora, ela encontra uma linda guitarra, que ela estava namorando na loja há tempos, dentro de seu carro. Um presente de Patrick, que comprara a mesma com o dinheiro dado a ele por Cameron para conquistá-la.

Final feliz sim. Quem não queria?
Definitivamente, esse é um filme clichê, mas é tão bem feito e os atores são tão cativantes que a gente se deixa levar pela trama. Algumas cenas são hilárias e memoráveis, como as da declaração de Ledger, cantando com a banda marcial; a de Kat dançando bêbada na festa, o casal jogando paintball. As tiradas sarcásticas do pai das meninas, que "vive enfiado na placenta" e não quer isso para as filhas são ótimas, e Larry Miller fez valer cada cena em que participou. Julia e Heath tem uma química perfeita em cena: ela personifica bem a megerinha adolescente, aquela garota de coração partido que se fecha para o mundo tentando se defender de sofrer de novo, e Ledger é o estereótipo do cara esquisito, com cara de mau e coração mole. O casal é irresistível e roubam as cenas em aparecem. Gordon-Levitt encarna bem o típico nerd apaixonado, desajeitado e inteligente, mas não chega a ofuscar o talento da dupla principal. A certeza é que os três tiveram uma sólida carreira depois do estrelato e fama que chegaram para eles após participarem desse filme, e tanto Julia quanto Joseph ainda estão por aqui para nos brindar com mais boas atuações. Infelizmente Heath nos deixou (muito) cedo, mas sempre teremos esse filme para ver e rever quantas vezes quisermos. Afinal, nós amamos ver o quanto eles odeiam se amar.

0 comentários: