3 blogueiras + 1 desafio = aprimorar a cinefilia.
DVD, sofá e pipoca,
formando cinéfilas melhores!

quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

Melancolicamente adorável

"De ondem vem os bebês na América?" Uma simples curiosidade infantil, e a busca pela resposta através de um meio de comunicação que nossa geração abandonou, capaz de criar uma relação de uma vida. Esse é o enredo de Mary & Max, uma animação stop-motion melancólica, mas que cria no expectador a vontade de fazer amizade à moda antiga.

A Australiana Mary de oito anos, decide descobrir de onde vem os bebês "estadunidenses", e para isso seleciona um nome qualquer, em uma página aleatória de uma lista telefônica. O sorteado acaba por ser o Nova Iorquino Max de 44. É assim que começa uma improvável e inocente amizade.

Tentando não revelar muito para não estragar a surpresa, acompanhamos a vida da dupla, através de suas cartas, embora seus "assuntos mais importantes" não sejam os mais comuns. Os personagens conversam sobre suas idiossincrasias, trocam formas estranhas de chocolates, e informações triviais sobre qualquer assunto, qualquer mesmo.

Enquanto isso, assistimos seu crescimento pessoal como plano de fundo. Amor, filosofia, religião, sociedade, sexo, confiança e principalmente amizade, discutidos de forma simples, singela e sem pudores. Desenvolvidos em um ritmo confortável, sem pressa dando a cada tema seu devido tempo.

Tudo isso, com animação stop-motion, na minha opinião uma da mais complexas. Moldados de forma bastante caricata para ajudar a expressar seus dilemas internos, os personagens são fofos, exatamente por fugir do estereótipo bonitinho normalmente adotados em animações. Outro detalhe interessante é o detalhado cenário, que também assume cores diferentes para cada parte do mundo. Nova York é exageradamente cinza, quase em preto e pranco, enquanto a Austrália tem tons terrosos, um visual meio sépia. 

Melancolicamente adorável, Mary & Max não é para crianças muito pequenas. Mas seus temas se relacionam com diferentes idades não importa onde e como você viva. Difícil não terminar a sessão com vontade de agarrar a primeira lista telefônica que encontrar e fazer um novo amigo. Só tome cuidado, os tempos são outros! E o destinatário de sua amizade virtual à moda antiga pode simplesmente ficar estupefato ao receber um objeto tão único e misterioso como uma carta!

0 comentários: