3 blogueiras + 1 desafio = aprimorar a cinefilia.
DVD, sofá e pipoca,
formando cinéfilas melhores!

quarta-feira, 28 de julho de 2010

Como todo zumbi deve ser

Daqui em diante não falo mais coisa com coisa!
Parece que pessoas que morreram recentemente estão se levantando! - É assim que o repórter na TV tenta explicar pela primeira vez as estranhas criaturas que aterrorizam os pobres mortais em A Noite dos Mortos Vivos, os Zumbis. Lentos, famintos, catatonicos e até meio patéticos, difícil acreditar que causariam medo em alguém, mas causam, e como!

Uma radiação misteriosa traz de volta todos aqueles que morreram e ainda não foram enterrados. Pessoas mordidas por eles também são afetadas, como em um vírus. Os sintomas? Lentidão, e um apetite por carne humana incontrolável. A única forma de elimina-los é destruindo o corpo ou o cérebro.

Não sei dançar Thriller!
Esqueçam os mortos-vivos que dão sustos a toda hora, espirram sangue em você, com superpoderes, ou mesmo os dançarinos (!). Nada assusta mais que um figurante cheio de maquiagem, se arrastando em direção a você em preto e branco. É assim que todo zumbi deveria ser. Não é atoa que o filme de Romero, criou um sub-gênero o "apocalipse zumbi" e definiu o visual e estilo dos filmes de mortos-vivos a partir daí.

Apesar de toda a diversão que os zumbis possam proporcionar, é com os vivos que temos que nos preocupar. Depois de assistir Barbra (Judith O'Dea, tão catatônica quantos os monstros) perder o irmãos, e encontrar Ben (Duane Jones, um dos primeiros heróis negros das telas que se tem notícia), acompanhamos a luta dos dois e outras cinco pessoas para sobreviver a uma  casa cercada pelos famintos vilões.

É aí que fica evidente que a natureza humana pode ser mais feia que os monstros em decomposição. Em meio ao desespero, brigas bobas, covardia, competição para ser líder. Parece que com a ameaça dos mortos  os problemas dos vivos ficam cada vez mais evidentes. A discórdia é tanta, que chega ao ponto de dois homens perderem tempo brigando pela posse da arma enquanto os zumbis invadem a sala. Impossível, não se revoltar e resmungar com a TV - larga de bobeira e atira neles!

Um bom pai sempre alimenta os filhos
(eu sei, essa foi terrível)
O roteiro não é surpreendente, uma vez que já foi repetidamente copiado, mas ainda assim é eficiente, como nenhuma de suas cópias conseguiu. SPOILER - Agente sabe que a menina vai se transformar, antes do fim. Também sabemos que irmão de Barbra reaparecerá como zumbi. Mesmo assim, ficamos impressionados quando acontece, especialmente a cena da menina devorando os pais. Fica gravado na memória. - FIM DO SPOILER.

De volta aos zumbis, a cenas onde eles se alimentam são as mais chocantes, fazem você pensar duas vezes antes de comer bife de fígado novamente. Contudo, é impossível desviar os olhos, assim como é difícil não se importar pelos vivos encurralados. Os zumbis mostrados por Romero causam um inexplicável fascínio no público. Normalmente troco terror por aventura, musical, fantasia sem pestanejar, mas desta vez dou o braço a torcer. A Noite dos Mortos Vivos é simplesmente espetacular!

0 comentários: