3 blogueiras + 1 desafio = aprimorar a cinefilia.
DVD, sofá e pipoca,
formando cinéfilas melhores!

terça-feira, 31 de agosto de 2010

Curiosidades de "M"

Depois que o filme policial abandonou o gênero "romance de folhetim", precisou encontrar uma fórmula que tivesse condições de agradar tanto ao público cultivado quanto aos espectadores atraídos unicamente pelo lado instigante da ação. Foi assim que a psicologia criminal se introduziu no filme policial... (Fritz Lang)

Por volta do ano de 1925 o assassino de crianças Peter Kürten, cometeu 10 crimes na cidade de Düsseldorf. É provavelmente dessa história real que o diretor Fritz Lang tirou o argumento de M -  O Vampiro de Dusseldorf.

M é o primeiro filme falado de Lang

O filme foi rodado quase exclusivamente em estúdio.

Os assassinos estão entre nós seria o nome original do longa mas, o ultra-conservador Marechal Hindermburg estava no poder e julgou desonra para a Alemanha "poderosa", conservar o título. 

O longa reflete o clima de terror que predominava na Alemanha, na época da ascensão do nazismo. Na época, o cinema alemão entrava em decadência, já notada nos últimos anos do cinema mudo. É claro existiram exceções como  Anjo azul, A ópera dos três vinténs, Senhoritas de uniforme e M - O Vampiro de Dusseldorf.

O longa foi proibido na Alemanha, pelos nazistas, em 1933.


Revelou o então ator de teatro Peter Lorre (1904-1968 - embora já tivesse participado de outros filmes, anteriormente), o homem de olhos esbugalhados, um dos maiores vilões do cinema. Seu papel é o de um assassino que abusa e mata meninas.

Para realizar M, o vampiro de Dusseldorf, o primeiro filme sonoro a estudar a mente humana, Lang revisou vários casos policiais em busca de inspiração. Internou-se por oito dias em hospital psiquiátrico para documentar aspectos da psiquiatria criminal. Estudou aspectos da técnica moderna de investigação do crime. Empregou pessoas dos lugares "barra pesada" de Berlin, o que levou a prisão de vários deles no final da produção.O resultado foi um filme ao mesmo tempo documental, e de dimensão humana.


Peter Lorre era judeu, e deixou a Alemanha logo após o término das filmage. Já Fritz Lang, que era meio judeu, saiu dois anos depois.

3 comentários:

Danielle disse...

Olá, Fabiane.

Menina, vocês são muito ativas! Tô morrendo de inveja!...
Nunca vi esse filme. Vou procurá-lo. Pelo que vocês estão escrevendo ele vale a pena. O Peter Lorre dá vilões ótimos até nas comédias - ele é assustador de se ver! Não sei se "Arsenic and old lace" (entre nós, "O mundo é um manicômio") está na lista de vocês. Eu recomendo muito, muito! É tremendamente hilário e o Lorre faz uma espécie de charge dele mesmo.

Bjos e até mais
Dani

Fabiane Bastos disse...

Não inveja não, participa logo rs!!!

M - O Vampiro de Dusseldorf, é de domínio público e está na integra no youtube.

O mundo é um manicômio não está na lista, mas é um caso a se pensar. Afinal a lista está acabando, quem sabe agente não monta nossa própria lista em 2011???

Bjs

Danielle disse...

Oi, Fabiane!

Obrigada pelo convite! Então inclui ele na lista que vcs não vão se arrepender. Ele é muito surtado e muito engraçado. Ah, eu amo uma comédia...

Vou procurar O Vampiro...

Bjinhos
Dani