3 blogueiras + 1 desafio = aprimorar a cinefilia.
DVD, sofá e pipoca,
formando cinéfilas melhores!

quinta-feira, 5 de maio de 2011

Conhecendo Frankenstein

A noiva de Frankenstein - 1935
- A escritora birtânica Mary Shelley tinha apenas 19 anos quando escreveu um romance que conta história de Victor Frankenstein, um estudante de ciências naturais que constrói um monstro em seu laboratório. Frankenstein: or the Modern Prometheus (Frankenstein ou o Moderno Prometeu), nasceu em uma ocasião no mínimo curiosa.

- Em 1815, o Monte Tambora na ilha de Sumbawa (atual Indonésia) entrou em erupção, lançando um milhão e meio de toneladas de poeira foram lançadas na atmosfera. O bloqueio a luz solar deixou o ano de 1816 sem verão no hemisfério norte (apavorante não?). A então solteira Mary Wollstonecraft Godwin, e  Percy Bysshe Shelley, seu futuro marido,  foram passar o verão a beira do Lago Léman, na companhia do amigo e escritor Lord Byron e do também escritor John Polidori.

Frontispício de uma edição inglesa de 
Frankenstein,  de Mary Shelley, 
publicada pela Colburn and Bentley 
em 1831. Gravura feita por 
Theodor von Holst (1810-1844).
- Obrigados a ficar confinados em ambiente fechado, devido ao clima incomum, passava o tempo lendo  contos de horror. Principalmente histórias de fantasmas alemãs traduzidas para o francês. Logo Lord Byron propôs que os quatro escrevessem, cada um, uma história de fantasmas. Foi assim que alguns dias mais tarde  Mary teve a visão de um estudante dando vida a uma criatura, a Base da história de Frankenstein, que a moça desenvolveu como romance encorajada pelo seu futuro marido.

- O mosntro feito de retalhos de outras pessoas, é conhecido por Frankenstein, entretanto a criatura nunca recebera um nome da autora. No romance é referido como “criatura”, “monstro”, “demônio”, “desgraçado”. A criatura veio a ser conhecida pelo mesmo nome de seu "pai" após o longa de 1931. A nova nomenclatura foi carregada para outras obras com o monstrengo.

- Frankenstein é o antigo nome de uma antiga cidade na Silésia, local de origem da família Frankenstein. Mary Shelley teria conhecido um membro desta família, o que possivelmente influenciou sua criação. Também é o nome de um município da Alemanha do estado da Renânia-Palatinado.

- A pele verde Frankenstein, que faz parte do imaginário coletivo, é fruto única exclusivamente do cinema. Mary Shelley, o descreve bem diferente:

"(...) Sua pele amarela mal cobria o relevo dos músculos e das artérias que jaziam por baixo; seus cabelos eram corrido e de um negro lustoso; seus dentes eram alvos como pérolas. Todas essas exuberâcias, porém, não formavam senão um contraste horrível com seus olhos desmaiados, quase da mesmacor acinzentada das órbitas onde se cravavam, e com a pele encarquilhada e os lábios negros e retos. (...)"

Provavelmente a diferença nasceu pela forma em que o monstro foi produzido. No romance ele é completamente criado pelo cientista, enquanto nas telas (a exceção da versão de 1910), ele foi montado com partes de cadáveres.

As vidas de Frank
Frankesnstein - 1910
Seja verde ou amarelo, a criatura já conheceu as mais diferentes mídias. Primeiro o teatro, depois vieram cinema, rádio, TV e até quadrinhos.

Cinema

  • 1910 - Frankenstein - primeiro filme baseado na obra de Mary Shelley. Uma produção dos estúdios Thomas Edison.
  • 1931 -Frankenstein - segundo filme baseado, de James Whale;
  • 1935 - A Noiva de Frankenstein (The Bride of Frankenstein) - seqüência do filme de 1931, também de James Whale;
  • 1939 - O Filho de Frankenstein (Son of Frankenstein) - segunda sequência do filme de 1931, de Rowland V. Lee;
  • 1957 - A maldição de Frankenstein (The Curse of Frankenstein) -  de Terence Fisher, de 1957;
  • 1958 - A vingança de Frankenstein (The Revenge of Frankenstein) - sequência do filme de 1957, também de Terence Fisher, de 1958;
  • 1974 - O joven Frankenstein (Young Frankenstein) - filme de Mel Brooks;
  • 1985 - A Prometida (The Bride) - remake do filme A Noiva de Frankenstein, de Franc Roddam, de 1985;
  • 1994 - Frankenstein de Mary Shelley (Mary Shelley's Frankenstein) - filme de Kenneth Branagh, com ele mesmo no elenco, Helena Bonham Carter e Robert De Niro, de 1994;
  • 2007 - Frankenstein - filme britanico de Jed Mercurio, com Helen McCrory no elenco;

Menos óbvio, serviu como inspiração para o filme Edward Mãos de Tesoura (Edward Scissorhands - 1990), de Tim Burton. Com Johnny Depp como Edward, um ser criado (e inacabado), por um cientista.

TV
Versão mais nobre do monstrengo é Frankenstein Jr, desenho produzido pela Hanna-Barbera Productions com um total de 18 episódios.  Exibido nos Estados Unidos entre 1966 e 1968, no Brasil ocupava as programação da extinta rede Manchete. Um jovem cientista chamado Bob Conroy, constrói um robô "multitarefas". Bondoso, carinhoso e com habilidades como voar e emitor raios, lutava ao lado de seu criador contra vilões. Era ativado por um anel-controle-remoto.


Também para os pequenos uma homenagem mais recente, foi a da série infanto-juvenil Feiticeirosde Waverly Place da Disney. Um dos personagens une ciência e magia para criar vida: Francristina! Repleta de referências da cultura pop, a série promete formar novos nerds-cinéfilos, mas isso é assunto para outro post. Por hora confira aí do lado outra referência, uma das personagens caracterizada como a noiva de Frank, e encontre as referências no episódio disponível no YouTube.



Quadrinhos
Marvel e DC Comics também levaram o mostrengo para seus universos de super-heróis e super-vilões.

Por último, mas não menos inportante, o representante Brasuca do legado de Shelley. Frank, da Turma do Penadinho de Maurício de Souza

0 comentários: