3 blogueiras + 1 desafio = aprimorar a cinefilia.
DVD, sofá e pipoca,
formando cinéfilas melhores!

sexta-feira, 11 de abril de 2014

Na Natureza Selvagem de verdade

CUIDADO - CONTÉM SPOILERS

Na Natureza Selvagem uma adaptação do livro de não-ficção de 1996, de mesmo nome, escrito por Jon Krakauer, baseado nas viagens de Christopher McCandless, também conhecido como Alex Supertramp.

Nascido em 12 de fevereiro de 1968 nos EUA. Desde a infância os seus professores notaram que Chris era extraordinariamente enérgico, adorando esportes físicos  Conforme cresceu, ele uniu isso a um intenso idealismo e resistência física. Ele se graduou no W.T Woodson High School em 1986 e na Emory University em 1990, especializando-se em história e antropologia. O fato de vir da classe média alta e ter graduação universitária, escondeu um crescente desprezo interior para o que ele via como o materialismo vazio da sociedade americana. Os trabalhos de Jack London, Leo Tolstoy e Henry David Thoreau tiveram uma grande influência sobre McCandless, e ele sonhava em deixar a sociedade para um período thoreauniano de contemplação solitária.

Quando acabou o curso na Universidade de Atlanta, em 1990, Christopher McCandless doou os 24 mil dólares que tinha no saldo bancário a instituições de caridade e desapareceu sem avisar a família. É esta jornada que livro e filme relatam. 

Após passar por diversos estados e dividir experiências com várias pessoas, Supertramp decidiu se aventurar ao interior do Alasca. McCandless manteve um diário na contracapa de vários livros que serviram de base para entender o que aconteceu a ele neste trecho solitário de sua jornada. 

Apesar de passear por diversos bosques, o local onde permaneceu mais tempo foi logo abaixo da Cordilheira Externa, onde ainda hoje se encontra um ônibus abandonado, de número 142 do Fairbanks Transit System. O ônibus serviu como residência para Chris, que deixou algumas frases escritas em seu interior.
(…) Sem jamais ter de voltar a ser envenenado pela civilização, foge e caminha sozinho pela Terra para se perder na floresta
McCandless permaneceu cerca de quatro meses nas montanhas, sobrevivendo do que encontrava, totalmente sozinho. Em 6 de setembro de 1992, dois trilheiros e um grupo de caçadores de alce acharam esta mensagem na porta do ônibus:
S.O.S. Preciso de ajuda. Estou aleijado, quase morto e fraco demais para sair daqui. Estou totalmente só, não estou brincando. Pelo amor de Deus, por favor, tentem me salvar. Estou lá fora apanhando frutas nas proximidades e devo voltar esta noite. Obrigado, Chris McCandless.
O seu corpo foi encontrado em decomposição em agosto de 1992, embrulhado num sacode dormir no interior do ônibus, morto há cerca de duas semanas. A causa oficial da morte foi inanição. Porém, alguns pensam que foi envenenado acidentalmente por algumas sementes que ingeriu. 

Mas Chris McCandless morreu em paz; ele próprio o disse numa entrada no diário, percebendo o seu fraco estado de saúde: 
Tive uma vida feliz, e agradeço ao Senhor. Adeus e que Deus vos abençoe a todos.
Jon Krakauer, jornalista da revista Outside, recebeu uma tarefa de contar a história de McCandless. Tocado e idendificando sua própria vida com a do rapaz,ele resolveu investigar a fundo, obsessivamente toda a sua jornada desde Anandale até ao Alasca. Tudo o que descobriu, depois de falar com diversas pessoas, e visitar vários locais por onde o viajante Alex passou, se transformou no livro, e posteriormente no filme “Into The Wild – Na Natureza Selvagem”. 

0 comentários: