3 blogueiras + 1 desafio = aprimorar a cinefilia.
DVD, sofá e pipoca,
formando cinéfilas melhores!

terça-feira, 19 de agosto de 2014

Curiosidades de "Piaf - Um Hino ao Amor"

Este é o quarto filme biográfico sobre Édith Piaf. Os outros são Piaf (1974), Édith et Marcel (1983) e Édith Piaf: Une rencontre Brève (1993).

Este filme se tornou o filme de terceira maior bilheteria de língua francesa nos Estados Unidos desde 1980, atrás de O Fabuloso Destino de Amélie Poulain (2001) e O Pacto dos Lobos (2001).

Diretor Olivier Dahan escreveu o roteiro com Marion Cotillard em mente como Edith Piaf.Os produtores do filme queriam Audrey Tautou interpretasse Piaf, mas Olivier Dahan queria Marion Cotillard e estava disposto a reduzir seu orçamento em US $ 5 milhões para consegui-la.

Para ajudar a retratar Edith Piaf, Marion Cotillard raspou para trás sua linha do cabelo e raspou as sobrancelhas, que mais tarde foram feitas a lápis, em, para melhor se parecer com a cantora.

Maquiagem de Marion Cotillar podia levar até cinco horas para transformá-la na Edith Piaf mais velha.

Marion Cotillard é um dos únicos seis interpretes a ter ganho um Oscar por um papel falado principalmente em uma língua estrangeira. Sophia Loren, Robert De Niro, Benicio Del Toro, Roberto Benigni e Christoph Waltz são os outros cinco.

Antes de viver Édith Piaf, dois filmes estrelados por Marion Cotillard têm em destaque uma canção da cantora francesa: Chloé (1996) e Amor Ou Consequencia (2003), ambos os filmes têm "La Vie en Rose" na trilha sonora. Anos mais tarde, Cotillard atuou em A Origem (2010) que contou com outra música de Piaf: "Non, Je Ne Regrette Rien".

Este é o segundo filme que Marion Cotillard interpreta uma cantora, o primeiro foi Les Jolies choses (2001).

0 comentários: