3 blogueiras + 1 desafio = aprimorar a cinefilia.
DVD, sofá e pipoca,
formando cinéfilas melhores!

quinta-feira, 1 de março de 2018

Operação Red Sparrow


Operação Red Sparrow (Red Sparrow, 2017) é um filme de espionagem feito para destacar a atuação de Jennifer Lawrence. Uma produção luxuosa, que correu países como Rússia, Hungria e Inglaterra para criar uma rede de intrigas onde uma jovem bailarina acabaria se transformando em uma espiã de primeiro escalão. Com um enredo bastante intrigante e sem nenhum furo, o longa promete agradar aos fãs do gênero.


Dominika Ergorova (Lawrence, regular) é a primeira bailarina do Bolshoi, a mais respeitada escola russa de balé e uma das mais importantes do mundo. A vida da bailarina, porém, não é nada fácil. Sua mãe sofre de uma doença degenerativa e ela depende do salário do balé para pagar as contas da casa e do tratamento dela. Seu pai é falecido e seu tio, Ivan Ergorov (Matthias Schoenaerts), trabalha para o governo e é bastante ausente. Tudo nessa rotina irá mudar em breve.

Do sonho à realidade cruel: não é fácil a vida da bailarina
Após um grave acidente que a impede de voltar a dançar, sua grande paixão e vocação, seu tio ressurge com a proposta irrecusável. Ele precisa que a sobrinha o ajude em uma emboscada contra um figurão russo, e como ele já demonstrou interesse na jovem antes, ela só precisaria atraí-lo para um local determinado. Depois do serviço pronto, ele faria o governo assumir os custos da casa e do tratamento da mãe dela. A situação, porém, não sai como o esperado por ela: o figurão foi assassinado e a ela se tornou uma testemunha perigosa. À jovem, restou apenas uma escolha.

Usando o codinome Katya, Dominika agora era apenas mais uma ferramenta do Estado nas mãos da Inspetora (Rampling)
Obrigada a se inscrever numa escola para espiões treinados para a avaliar suas vítimas, seduzi-las e manipulá-las para obter informações sigilosas, Dominika mostra-se uma aluna indomável porém de excelentes resultados. Apesar da relutância da Inspetora (Charlotte Rampling), a jovem é recrutada para uma missão apesar do pouco tempo de treinamento. Um agente russo está sendo acusado de passar informações para o agente americano Nate Nash (Joel Edgerton), mas eles desconhecem a identidade do informante. A missão da jovem é se aproximar de Nash e obter o nome do informante. Mas a jovem nunca foi realmente boa em seguir as instruções...

Nate (Edgerton) e Dominika: quem envolve e quem será envolvido?
A trama bem elaborada do longa é expressa em um roteiro coeso e com boas reviravoltas, que sempre deixam na dúvida qual a real intenção de Dominika em todas as suas ações. Embora o tom seja um pouco exagerado (no sentido político, onde a Rússia ainda não havia desistido da Guerra Fria e se mantinha tão sádica quanto a visão pintada pelos americanos lá na década de 1960), ele cria o clima certo para as motivações dos personagens. As locações, lindas e luxuosas, são belissimamente fotografadas e trazem um certo glamour de James Bond para o filme, porém incomoda demais o fato de focarem o treinamento de espiã apenas na sedução. Nas cenas de ação é possível perceber que ela teve um treinamento mais típico de agentes de campo (que já vimos em outros filmes com protagonistas masculinos), mas aqui tudo é focado na sedução. Então, a sensação é que fizeram este longa apenas para explorar o potencial sensual de Lawrence. Uma pena, porque a trama é realmente intrigante.

Cenas de tortura e nudez exigiram bastante da atriz
Há muitas cenas fortes, inclusive. Tortura, acidentes e machucados são mostrados sem pudor, assim como nudez frontal - então, se for levar filhos adolescentes ao cinema, é melhor que estejam preparados para isso. Ainda assim, Operação Red Sparrow é um bom filme de gênero - mesmo que não tenha trazido nada de novo para o mundo dos filmes de espionagem. O elenco estelar, com nomes de peso com Ciáran Hinds e Jeremy Irons, mantém o alto nível que uma produção desse porte exige.

0 comentários: