X-Men: Fênix Negra

X-Men: Fênix Negra (Dark Phoenix, 2019) chega  aos cinemas para encerrar  um ciclo: a era dos filmes de mutantes iniciada em X-Men: Primeira Classe (2011) renovou o grupo de heróis e agora chega ao seu capítulo final - mesmo que ele não seja tão épico quanto o desenhado. A personagem principal, Jean Grey/Fênix Negra é uma das mais poderosas mutantes do universo Marvel e sua instabilidade emocional a torna ainda mais perigosa. Esse é o mote principal do longa de Simon Kinberg, que dirige e assina o roteiro (junto com o time de criação original da saga nos quadrinhos), porém a premissa parece um tanto subaproveitada no resultado final.


Passado no início dos anos 1990, o ambiente para os mutantes é bem melhor: depois de terem salvado o mundo da ameaça do super mutante Apocalipse (Oscar Isaac) em X-Men: Apocalipse (2016), o grupo liderado por Charles Xavier (James McAvoy) e toda a raça mutante passou a ser tolerada - e até admirada - por seus méritos. Raven/Mística (Jennifer Lawrence), porém, ainda se incomoda com o posicionamento de Xavier, que continua a arriscar suas vidas para proteger os humanos. E a tensão entre eles só aumenta após uma arriscada e grandiosa missão espacial - para a qual eles não estavam preparados para agir.

O grupo se arrisca em missão espacial: seria muito para os X-Men?
Um ônibus espacial enfrenta algum tipo de interferência eletromagnética inexplicável e os X-Men são acionados para o resgate. Todo o time é convocado: Hank McCoy/Fera (Nicholas Hoult), Scott Summers/Ciclope (Tye Sheridan), Jean Grey (Sophie Turner), Pietro Maximoff/Mercúrio (Evan Peters), Ororo Munroe/Tempestade (Alexandra Shipp) e Kurt Wagner/Noturno (Kodi Smith-McPhee) vão em socorro dos astronautas e Jean acaba atingida pela "tempestade cósmica" que ameaçava a nave. Absorvendo seu poder, consegue sobreviver e deixa a todos espantados. De volta à Terra, são e salvos, Jean demonstra estabilidade - mas seu comportamento ligeiramente atípico deixa os outros em alerta. Ao mesmo tempo, uma silenciosa invasão alienígena ocorre e os invasores transmorfos, liderados por Vuk (Jessica Chastain, quase irreconhecível com uma peruca loira), parecem atraídos pelo poder cósmico absorvido por Jean.

As memórias da infância de Jean (Summer Fontana) começam a vir à tona depois do incidente
A energia cósmica está modificando o DNA de Jean, tornando-a ainda mais poderosa. Suas fragilidades, porém, também vêm à tona. Os bloqueios mentais que Xavier usou para protegê-la das lembranças ruins de sua infância estão se desfazendo, e a jovem encontra dificuldades para conter toda a raiva acumulada. Seus poderes ampliados a fazem encontrar seu pai, que ela acreditava estar morto, mas o encontro não termina como o esperado. Assutada e com medo do próprio poder, Jean foge em busca de ajuda e proteção - mas nem mesmo Erik Lehnshserr/Magneto (Michael Fassbender) é capaz de ajudá-la. Assim, Jean se torna presa fácil para Vuk, que se aproxima da jovem na intenção de usar seu novo poder - ou de arrancá-lo dela, se for necessário.

Vuk (Chastain) e seu grupo tomam forma humana: querem se apossar da energia cósmica
É difícil medir o impacto de Fênix Negra dentro da franquia. Se ele não é apenas uma segunda versão do mal-fadado X-Men 3: O Confronto Final (as mudanças nesse roteiro foram significativas o suficiente para torná-lo um outro filme), como capítulo final de uma era cinematográfica, ele é bem chocho. De fato, sendo a história de uma das mutantes mais poderosas e a versão de uma das sagas mais amadas pelos fãs, o filme é "pequeno" para a grandiosidade da personagem. Fica clara a intenção de focar nas emoções e nos dilemas morais e pessoais, mas alguns recursos usados são bem ruins e/ou apressados - e aqui eu me refiro ao alegado lado manipulador e egocêntrico de Xavier e ao péssimo desenvolvimento do triângulo amoroso (!) entre Mística, Fera e Magneto. Mas o que realmente incomoda é o medo de arriscar e transformar a Fênix Negra na verdadeira vilã que ela pode se tornar, e usar a Vux - uma personagem nem humana, nem mutante - para representar o lado mau da história. Desperdício de oportunidade para transformar o filme de "apenas ok" para algo realmente épico.

Finalmente houve melhora na maquiagem dos mutantes, especialmente da Mística (Lawrence)
A irregularidade do filme também se percebe por outros detalhes: se o quesito maquiagem melhorou exponencialmente (o melhor da saga até agora) e os efeitos especiais também são admiráveis, as interpretações não foram lá essas coisas. Sophie Turner parecia ainda estar atuando como a amadurecida Sansa Stark ao invés de mergulhar no dilema de Jean Grey, e até Jessica Chastain ficou parecendo mais um robô que um extraterrestre. Alguns destaques merecidos para personagens secundários na trama foram importantes também: é bem legal ver a jovem Tempestade demonstrando um pouco mais de seu poder e o Noturno finalmente entrando para a briga, além de terem dado mais espaço e importância para o Fera; porém no momento mais importante da batalha, parecem ter esquecido que o Mercúrio existia - nem para a reunião foi convocado, coitado.

X-Men reduzidos a um grupo pequeno: melhor para mostrar um pouco mais de cada um
Com muitos altos e baixos, Fênix Negra termina com saldo neutro. Podia ter sido muito mais, mas ficou acima da expectativa de ser um filme ruim. Não se tornou memorável, porém não é o pior da franquia. As cenas de ação são muito boas, mas a estrutura - as cenas dramáticas - deixam a desejar. No fim, a experiência em 3D-IMAX foi positiva e faz valer o ingresso e a pipoca, apesar de acreditar que o recurso não é indispensável para a projeção. Agora é esperar para ver o que virá no próximo reboot da saga dos Filhos do Átomo pelos Estúdios Disney.

0 comentários:

Meses temáticos!

Confira nosso catálogo de críticas e curiosidades completo, distribuído em listas e meses temáticos.

Lista de 2015 Lista de 2010
Meses temáticos
2014 2013 2012 2011
Trilogia Millenium Ficção-cientifica Pioneiros De Volta para o Futuro
Meryl Streep e o Oscar Broadway Brasileiros no Oscar Liz Taylor
Fantasias dos anos 80 Realeza Tarantino Filmes de "mulherzinha"
Pé na estrada Scorcese Chaplin Stephen King
Mês Mutante Off-Disney Filmes de guerra Noivas
Mês do Futebol Mês do Terror Agatha Christie Genny Kelly
Mês Depp+Burton Shakespeare HQs Harry Potter
Cinebiografias Pequenos Notáveis Divas Almodovar
Robin Williams Mês do Rock Woody Allen Remakes
Mês das Bruxas Alfred Hitchcock Rei Arthur Vampiros
Humor Britânico John Wayne John Hughes Elvis
Mês O Hobbit Contos de Fadas Apocalipse O Senhor dos Anéis

Especial do momento

Mulan

As definições do projeto para formar cinéfilas melhores foram atualizadas

Agora nos dedicamos a um filme por mês, sem deixar de lado as críticas dos lançamentos no cinema. Venha com a gente descobrir curiosidades dos nossos especiais e se atualizar das estreias nas telonas!

Receba por e-mail

Gêneros

Resenhas (806) Drama (247) Lançamentos (171) Ficção científica (113) Aventura (108) Comédia (78) Ação (58) Musical (53) Terror (51) Fantasia (43) Animação (32) Biografia (27) Comédia romântica (25) Épico (24) Faroeste (22) Thriller (8)

Arquivo do blog

Seja parceiro

Descubra como!
 
Copyright ©
Created By Sora Templates | Distributed By Gooyaabi Templates