3 blogueiras + 1 desafio = aprimorar a cinefilia.
DVD, sofá e pipoca,
formando cinéfilas melhores!

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Um pouco mais de Molly Ringwald

Nascida Molly Kathleen Ringwald em 1968, na Califórnia, a atriz americana Molly Ringwald foi uma das queridinhas do cinema americano da década de 1980. Molly estreou na telinha, em um seriado chamado Vivendo e aprendendo (The facts of life, 1979-1988). Apesar do seriado ter durado quase uma década, Molly participou apenas das 3 primeiras temporadas. Depois de deixar a série, participou de outros filmes para tv, sem chamar muito a atenção. O sucesso veio à cargo de Gatinhas e gatões (Sixteen candles, 1984), quando interpretou a jovem Samantha Baker no pior dia de sua vida adolescente. A parceria com John Hughes renderia mais dois filmes de grande sucesso: O clube dos cinco (The breakfast club, 1985) e A garota de rosa shocking (Pretty in pink, 1986).

Molly acabou recusando papéis importantes quando ainda estava no auge da carreira, o que acabou alçando outras atrizes ao estrelato. Em 1989 a atriz recusou o papel de Sally Albright no longa Feitos um para o outro (When Harry mets Sally, 1989), que ficou a cargo de Meg Ryan. Julia Roberts também só teve a sua chance de ser a prostituta ruiva que conquista o coração de Richard Gere em Uma linda mulher (Pretty woman, 1990) porque Molly recusou o papel. A atriz se candidatou ao papel de Molly Jensen no filme Ghost - do outro lado da vida (Ghost, 1991), mas este acabou ficando nas mãos de Demi Moore. É interessante pensar que tantas atrizes ícones dos anos 1990 tiveram sua primeira oportunidade de brilhar porque Molly Ringwald não ficou com o papel delas...

Seu trabalho mais recente, o seriado A vida secreta de uma adolescente americana
Depois dessa fase, Molly dedicou-se a família e a projetos para a tv. Em 2001 fez uma pequena participação no filme Não é mais um besteirol americano (Not another teen movie, 2001) como uma aeromoça meio mau humorada. O filme é uma paródia às comédias românticas lançadas à época, e a cena em que Molly aparece, ela dá um conselho à mocinha - para que ela não acredite na declaração de amor do galã. Quando o rapaz cita uma frase de um dos filmes que fez, ela revira os olhos. A cena é engraçada justamente por ela estar fazendo "desfeita" dos filmes que a revelaram, e, ainda assim, soa como uma homenagem à atriz. Depois de uma longa pausa na carreira, Molly voltou a atuar no seriado de tv A vida secreta de uma adolescente americana (The secret life of an american teenager, 2001 -) onde interpreta Anne, a mãe da adolescente que engravida do namorado ainda no colégio. Durante as gravações, Molly descobriu que estava grávida, e sua personagem também engravidou para que ela pudesse continuar a gravar. A música tema de abertura é uma gravação de uma música de Cole Porter, chama-se "Let's Do It (Let's Fall in Love)". A cantora é a própria Molly Ringwald.

Se você é fã da atriz, até dá para assistir ao seriado. Pode parecer meio Malhação à primeira vista, mas trata dos assuntos que aborda (maternidade na adolescência, conflitos entre pais e filhos, etc.) de forma mais, digamos, competente. Mas ainda acho que falta um bom filme nas telonas para gente matar as saudades da eterna adolescente ruiva, tão desengonçada que é impossível resistir ao charme dela na tela. Imagina se os bonitões do colégio iriam resistir?  

0 comentários: