3 blogueiras + 1 desafio = aprimorar a cinefilia.
DVD, sofá e pipoca,
formando cinéfilas melhores!

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Curiosidades de A Noviça Rebelde

A verdadeira Maria Von Trapp na figuração
O musical da Broadway e o filme foram inspirados na família cantores austríacos Von Trapp. Maria Von Trapp faz figuração no longa. Continue acompanhando o blog para descobrir mais.

Ajustado pela inflação, este seria a terceira maior bilheteria de todos os tempos.

Creditado como sendo o filme que salvou a 20th Century Fox, após o fracasso de Cleópatra.

Junto com "A Bíblia", este é um dos poucos  filmes da Twentieth Century-Fox em que nenhuma música é ouvida quando o logotipo da Twentieth Century-Fox aparece na tela.

As músicas "I Have Confidence" e "Something Good" foram escritas especialmente para o filme, de Richard Rodgers, a última canção substituindo "Um Casal Ordinária" da versão de palco. Os dois números se tornaram tão populares e tão integrados ao musical, que produções posteriores dos palcos passaram a incluí-las.

O primeiro número musical do filme, The Sound of Music, foi exatamente o último a ser rodado pelo elenco enquanto estava na Europa. As filmagens desta cena ocorreram em junho e julho de 1964.

A frente e os fundos da fazenda do capitão Von Trapp foram filmadas em dois locais diferentes em Salzburgo, na Áustria.

Muita gente acredita que a canção Edelweiss, uma das que são cantadas no filme, é uma tradicional canção austríaca, na verdade ela foi escrita para o musical e é pouco conhecida na Áustria.

Na verdade, não é a voz do ator Christopher Plummer que se ouve no filme quando seu personagem canta, e sim a do cantor Bill Lee.

Na cena final, quando a família está subindo as colinas de segurança, não é realmente Kym Karath como Gretl sobre os ombros do Capitão von Trapp. Enquanto na Áustria, Kym Karath ganhou muito peso. Esta foi uma das últimas cenas filmadas e por isso ela estava pesada demais para ser levada nas costas de Christopher Plummer.

"Sixteen Going On Seventeen" foi um dos últimos números a ser feito. Na primeira tomada, Charmian Carr (Liesl) caiu enquanto saltava sobre um banco, e caiu através de um painel de vidro. Embora ela não estivesse gravemente ferida, o tornozelo ficou machucado e a cena foi feita mais, tarde com sua perna enfaixada e maquiagem cobrindo as bandagens.

O gazebo usado para as cenas"Sixteen Going on Seventeen" e "Something Good" ainda pode ser visitado na área de Salzburgo, no passeio "Sound of Music" No entanto, o público teve que ser excluídos do interior porque  fãs de cinema que eram consideravelmente mais velhos que "16 indo em 17" se machucavam ao tentar dançar em cima dos bancos. O gazebo na Áustria só foi usado para cenas exteriores. A dança real por Charmian Carr e Truhitte Daniel foi, de fato, filmado em uma réplica do interior do gazebo em um estúdio de som da 20th Century-Fox, em Los Angeles, como foram as cenas de Julie Andrews e Christopher Plummer.

Nicholas Hammond (Friedrich) tem cabelo castanho, e teve que passar por várias clareamentos de cabelo dolorosos antes e durante as filmagens para fazer o cabelo de louro.

Julie Andrews quase recusou o papel de Maria Von Trapp, temendo que o personagem fosse muito semelhante ao seu papel em Mary Poppins.

As músicas "I Have Confidence" e "Something Good" foram escritas especialmente para o filme, de Richard Rodgers, a última canção substituindo "Um Casal Ordinária" da versão de palco. Os dois números se tornaram tão populares e tão integrados ao musical, que produções posteriores dos palcos passaram a incluí-las.

Outras quatro crianças foram trazidos para aumentar o canto dos sete filhos von Trapp - para produzir um som mais cheio, melhor, mais polido. Entre os quatro cantores "extras" estava a irmã mais nova de Charmian Carr (Liesl), Darleen Carr.

Charmian Carr cantou "16 Going On Seventeen" para o filme quando tinha quase 22 anos.

Na competição musical no final do filme, Fraulein Schweiger, a vencedora do terceiro lugar, se curvou 16 vezes.

Julie Andrews cantava "Supercalifragilisticexpialidocious" para as crianças do elenco para entretê-los entre as filmagens. Uma vez que Mary Poppins ainda não tinha sido lançado, eles pensaram que ela fizera a música para eles.

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Do Ré Mi mundo a fora!

Você pode nunca ter assistido A Noviça Rebelde (se for o caso, tá esperando o que?), mas com certeza já ouviu uma ou  mais canções do clássico com Julie Andrews. Duvida? Veja só como as músicas fazem parte da cultura popular!

Encantada (2007)
Durante o número musical no Central Park, há uma cena de Giselle (Amy Adams) caminhando sobre uma colina gramada e depois girando com os braços estendidos, como Julie Andrews faz na sequencia inicial de A Noviça Rebelde .



Flashmob - quem disse que só músca "da moda" serve?


Renato Aragão - Didi estrelou um filme chamado O Noviço Rebelde, onde tinha que cuidar dos 5 filhos de um viúvo, entre as crianças Sandy e Junior garantiam as músicas. Já no programa Turma do Didi, a referência é mais direta, assista o vídeo.


Glee - o seriando musical apresentou "My favorit things" em seu especial de natal



Moulin Rouge - É cantando ♪"The hills are alive... with th sound of music...♪ que Christian (Ewan McGregor), consegue o emprego de compositor no musical dos boêmios. Os direitos autorais tiraram a cena do ar nos sites de vídeos. Mas a sequencia "repeteco" da música com todo o elenco sobreviveu, confira!


Wind It Up - da cantora Gwen Stefani, é um remix de um das músicas de A Noviça Rebelde, e seu videoclipe é inspirado no filme, que a cantora considera seu favorito.

Os Muppets - e claro que Kermit Caco, o sapo e sua turma não ficariam de fora, e ainda conseguiram a participação especial da própria Julie Andrews.


Os Simpsons - a família amarela usou a trilha para incrementar a tradicional exclamação "D'oh" de Hommer.


Como viajar com o mala do seu pai - com Martin Lawrence e Raven


Operação Babá - com Vin Diesel


Oscar 2013 - Ao convidar Christopher Plummer (Cap. Von Trapp) para o palco, Seth Mcfarlane imitou uma das cenas do filme.


Você lembra de ourta referência a A Noviça Rebelde? Conte pra gente! Quem sabe não rende outro post.

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Prêmios de A Noviça Rebelde

Ilustração: Olly Moss
Oscar
  • melhor filme
  • melhor diretor
  • melhor montagem
  • melhor som
  • melhor trilha sonora
Indicado nas categorias de melhor atriz (Julie Andrews), melhor atriz coadjuvante (Peggy Wood), melhor fotografia, melhor direção de arte e melhor figurino.

Globo de Ouro
  • melhor filme - comédia/musical
  • melhor atriz em comédia/musical (Julie Andrews).
Indicado nas categorias de melhor diretor e melhor atriz coadjuvante (Peggy Wood).

Prêmio Eddie (American Cinema Editors, USA)
  • melhor montagem.

BAFTA
  • Indicado na categoria de melhor atriz britânica (Julie Andrews).

David di Donatello Awards
  • melhor atriz estrangeira (Julie Andrews)

Directors Guild of America
  • Outstanding Directorial Achievement in Motion Pictures - Robert Wise - Ridgeway Callow (assistant director) (plaque)

Laurel Awards
  • General Entertainment
  • Musical Performance, Female (Julie Andrews)

National Board of Review, USA
  • Top Ten Films

Satellite Awards (2006)
  • Best Classic DVD - Também por O Rei e Eu (1956), Corações Enamorados (1945), Carrossel (1956), No Sul do Pacífico (1958) and Oklahoma! (1955). For the "Rodgers & Hammerstein Box Set Collection".
Nomeado em 2005 para Outstanding Classic DVD (40th Anniversary Edition) e Outstanding Youth DVD (40th Anniversary Edition).

Writers Guild of America, USA
  • Best Written American Musical - Ernest Lehman

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Bolão do Oscar 2013: o vencedor!!!

É impressão minha, ou as escolhas da Academia foram bastante incomuns este ano? Ao menos a disputa do  nosso terceiro Bolão do Oscar foi imprevisível. Vice-campeões dos anos anteriores, disputaram o título frame-a-frame com o campeão do ano passado, outros ficaram na lanterna, e tem ainda todos os outros que ficaram no meio termo. 

Entretanto, todos mandaram muito bem, na "blogagem coletiva". Os textos com palpites traziam prós e contras, das produções. Os prováveis vencedores, os favoritos de cada cinéfilo, e os motivos por receberem esses adjetivos, também foram bem explanados. E, afinal, esse é o principal motivo  da brincadeira, disseminar a cultura cinéfila. 

Confira agora o resultado do bolão

10 acertos - empatadas na lanterna as blogueiras irmãs dos blogs, Comentar é Preciso (Giselle de Almeida) e Mundinho Pop-nonsense (Geisy Almeida)
11 acertos - Ah! E por falar nisso (Fabiane Bastos)
13 acertos - Crítica Retrô (Lê)
15 - acertos - Pipoca com guaraná (Nani e André)
17 - acertos - o campeão de 2012 Película Criativa ficou com a prata pela diferença de apenas 1 voto!

18 acertos - o cinéfilo blogueiro sabe tudo de Oscar deste ano é o blog...
Pipoca Net por Matheus Pereira!!!

Parabéns a todos os participantes, e um super "mandou bem", para o Matt!!!

*Matt, vamos postar o selo na sua página. Mas, já que o selo é personalizado resolvemos postar ele aqui também, e quem sabe até no Facebook. Afinal precisamos divulgar sua genialidade para os blogueiros do mundo!

Obrigada a todos por participar e até o Bolão de 2014!!!

A Noviça Rebelde

As colinas estão vivas ao som da música...
E assim começa nossa última semana Broadway no cinema, a favorita dos leitores!!!

The Sound of Music
1965 - EUA
174 min, cor.
Musical

Direção: Robert Wise

Roteiro: Ernest Lehman

Música: Richard Rodgers, Oscar Hammerstein II

Elenco: Julie Andrews, Christopher Plummer, Eleanor Parker, Richard Haydn, Peggy Wood, Charmian Carr, Heather Menzies, Nicholas Hammond, Duane Chase, Angela Cartwright, Debbie Turner, Kym Karath.

Baseado em um musical da Broadway, que por sua vez é baseado na vida da família autríaca Von Trapp. Ganhador de 5 Oscars.



domingo, 24 de fevereiro de 2013

Live Tweet Oscar 2013


Sim! Nós gostamos no ano passado e resolvemos fazer novamente. A partir das 20h30, no dia 24/02/2013, as blogueiras do sofá convidam cinéfilos, palpiteiros e curiosos para comentar o Oscar 2013. O bate papo vai acontecer via, live Tweet, e você pode acompanhar nesse post.

Se você precisa dormir cedo, não se preocupe o bate-papo vai continuar no ar, para você poder conferir tudo o bate-papo, quando e quantas vezes quiser! PARTICIPE!!!

Está estranhado as duas janelas de bate-papo? Aconteceram problemas técnicos no meio do bate-papo e precisamos recomeçar. A primeira janela é a mais recente!






A cerimônia de entrega do Oscar acontece esta noite (24/02/13). Os cinéfilos brasileiros podem assistir a transmissão na TNT ou metade dela na Globo.

Bolão do Oscar 2013: os concorrentes!

Colocamos novamente o conhecimento dos blogueiros cinéfilos em teste! Convocamos os colegas, e vários palpiteiros amantes da sétima arte toparam o desafio, Bolão do Oscar 2013.

Conheça todos os participantes e confira seus palpites. O resultado sai amanhã! A cerimônia de entrega do Oscar acontece esta noite (24/02/13). Os cinéfilos brasileiros podem assistir a transmissão na TNT ou metade dela na Globo.

sábado, 23 de fevereiro de 2013

Temo, dou risada ou canto junto?

Não sei se temo, dou risada ou canto junto. Este é na grande maioria do tempo o sentimento do espectador de The Rock Horror Picture Show. Isso, é claro, se este topar embarcar na loucura do roteiro musical sem preconceitos.


Brad (Barry Bostwick) e Janet (Susan Sarandon) decidem se casar e contar a boa notícia em primeira mão para um antigo professor amigo de ambos. Mas o pneu de seu carro furou, deixando o casal perdido no meio do nada. Sorte (ou não) que, perdido no meio do nada, existe um castelo, daqueles em que vítimas de filmes de terror cismam achar boa ideia entrar. É claro, para Brad e Janet também não é uma boa ideia. O proprietário do castelo, o dr. Frank N Furter (Tim Curry) é, por falta de palavra melhor, excêntrico.

É melhor parar a sinopse por aqui, caso contrário vou estragar uma das maiores qualidades do filme, a imprevisibilidade. Difícil imaginar a enrascada em que os protagonistas se meteram. Aliás, nem mesmo as atitudes de Brad e Janet, que deveriam ser o "tipico casal americano", são fáceis de prever.


Inclua no repertório reviravoltas do roteiro, ficção cientifica (à la Frankestein) crimes, sexualidade, adultério, bissexualismo, homossexualismo, traição, ciúmes, entre outros assuntos mais ou menos sérios. Todos abordados de forma divertida, despretensiosa, e na maioria das vezes impróprias. Somem-se aí as músicas, o nonsense, e os estranhos, porém carismáticos personagens, e é preciso um mergulho de "mente aberta" para apreciar . Para os fortes que conseguirem tal feito, a viagem é alucinante e divertida.

Sim, é divertido ver uma Susan Sarandon jovenzinha e cantante, mas quem rouba a cena é Tim Curry. Seu o anfitrião travesti, bissexual, desequilibrado, extravagante, sádico e tarado é o que move a trama e suas surpresas. Com tantos "atributos", maquiagem e paetês, não tem como não brilhar. O que não significa que o resto do elenco não esteja no tom correto, seja na atuação ou na música.

Homenagem a filmes de ficção científica e suspenses antigos, o longa é também uma sátira aos musicais. Que torçam o nariz aqueles que não gostam quando os personagens cantam e dançam sem motivo aparente, a música é uma das melhores partes do longa. As canções são enérgicas, suas letras se adequam perfeitamente à sua insana narrativa e de bônus ainda dá vontade de cantar e dançar junto. 

Assustadoramente, divertido e louco. É o que aconteceria caso um Dr Frankestein "exótico" resolvesse produzir um musical em pleno hospício. Basta curtir e tentar fazer o "Time Warp" no sofá!

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

The Rocky Horror Glee Show

Em Outubro de 2010, a série de TV musical Glee fez um episódio de Halloween  em homenagem a The Rock Horror Picture Show. Na trama os alunos do clube do coral resolvem encenar a versão para os palcos do musical. Não é preciso dizer que a atividade extra-curricular, para lá de imprópria, causou muitos problemas.

O grupo apresentou 7 canções do musical, que também formaram um CD, lançado no mesmo ano. Mathew Morrison e Lea Michele, também apresentaram canções do longa nos palcos, na comemoração de 35 anos no musical, mas isso é assunto para outro post.

1. "Science Fiction Double Feature" - Naya Rivera
2. "Damn It, Janet" - Cory Monteith, Lea Michele, Dianna Agron, Amber Riley e Chris Colfer
3. "Whatever Happened to Saturday Night?" - John Stamos
4. "Sweet Transvestite" - Amber Riley, Naya Rivera e Heather Morris
5. "Touch a Touch a Touch a Touch Me" -   Jayma Mays, Matthew Morrison, Naya Rivera, Chris Colfer, Cory Monteith, John Stamos e Heather Morris
6. "There's a Light (Over at the Frankenstein Place)" -    Lea Michele, Cory Monteith e Chris Colfer
7. "Time Warp" - Chris Colfer, Dianna Agron, Cory Monteith, Kevin McHale, Heather Morris, Naya Rivera e Jenna Ushkowitz

Confira a performance do grupo em "Time Warp"



quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

The Rocky Horror Picture Show - 35 anos

Uma celebração realizada em 28 de outubro de 2010, celebrou 35 anos de The Rocky Horror Picture Show. O espetáculo combinou cenas do filme e remontagens de alguns dos números musicais. A festa aconteceu no  The Wiltern em Los Angeles

Matthew Morrison e Lea Michele (o professor Shu e a Rachel de Glee), interpretaram os recém casados Brad e Janet, nas canções. Nas músicas em que os personagens aparecem apenas na coreografia, os atores foram substituídos por figurantes.

Jack Nicholson e Danny DeVito, dividiram o personagem do criminologista. Jorge Garcia, (o Hurley de Lost) interpretou Eddie. Lucas Grabeel (High School Musical) foi Riff Raff. Melora Hardin (The Office) interpretou Columbia. O comediante George Lopez foi o Dr. Scott. Evan Rachel Wood (Aos trezeTrue Blood), interpretou Magenta e Nicole Scherzinger, foi Trixie.  

A surpresa da noite foi o ator Julian McMahon, de “Nip/Tuck”, que deu vida ao cientista Dr. Frank-N-Furter. Durante a música “Time Warp”, Tim Curry e Barry Bostwick, que interpretaram o Dr. Frank e Brad no filme, respectivamente, uniram-se aos atores no palco.

A renda do espetáculo foi revertida para o "The Painted Turtle", instituição financeira criada por Paul Newman para auxiliar crianças doentes.

Infelizmente os vídeos on-line da performance são escassos, e de qualidade duvidosa (feitos no celular, da platéia). Para compensar segue uma absurdamente grande galeria de imagens, com fotos da performance e dos atores em suas caracterizações.






 













quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Shock Treatment

A sequência de The Rock Horror Picture Show foi lançada em 1981. Teve o retorno de Richard O’Brien, Patricia Quinn, Nell Campbell, Charles Gray, Imogen Claire e Jeremy Newson(que é o único dos seis que reprisou o mesmo papel).

Enquanto o original é uma paródia de filmes de horror Shock Treatment é uma paródia de programas de televisão.

Direção Jim Sharman
Roteiro Jim Sharman, Richard O'Brien

Sinopse
Seis anos depois de The Rocky Horror Picture Show,Brad(Cliff de Young) e Janet(Jessica Harper), já casados, voltam para sua casa em Denton antes uma simples cidadezinha do sul dos EUA e que agora foi transformada em um estúdio de TV gigante pelo magnata do Fast Food Farley Flavors, que quér se casar e escolhe Janet mas ela ja esta casada com Brad.
Os dois estão vivendo uma fase difícil do casamento, o que leva Janet a ser influenciada por Bert Schnick (Barry Humphries), o apresentador de um programa chamado "Marriage Maze" a internar Brad em Dentonvale, uma clínica psiquiátrica dentro da cidade-estúdio, e que também é uma especie de Reality-Show.
Brad é submetido à terapia forçada e Janet vira uma celebridade e acaba tornando-se egocêntrica e se esquece do marido.

Enquando isso temos Betty Hapschatt(Ruby Wax) e Oliver Wright (Charles Gray) que estão dispostos a ajudar Brad a fugir e desvendar a farsa dos médicos de dentonvale Dr. Cosmo McKinley (Richard O' Brien) e Nation McKinley (Patricia Quinn), e também divulgar a verdade sobre Farley Flavors, que tem mais a ver com Brad do que qualquer outro.


Fonte: wikipédia

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Curiosidades de The Rocky Horror Picture Show


No Brasil The Rocky Horror Picture Show manteve seu título original, mas em portugal o filme ganhou o nome de Festival Rocky de Terror.

O roteiro original de The Rocky Horror Picture Show previa que no início, o filme seria em preto e branco, até o surgimento do Dr. Frank-N-Furter no elevador, e que após um close em seus lábios, o filme passaria a ser a cores.

O castelo do Dr. Frank-N-Furter fora anteriormente utilizado em diversos filmes de terror produzidos pela Hammer.

Após realizar a cena na piscina Susan Sarandon pegou um forte resfriado.

Teve um orçamento de 1,2 milhão de dólares. Não foi um sucesso de bilheteria.

O filme foi banido na África do Sul várias semanas após ter sido lançado nos cinemas locais. Esta atitude foi tomada pelo Conselho de Censura local, o que não impediu que o filme fosse visto por mais de 250 mil pessoas no país.

O filme é considerado cult em muitos países de língua inglesa, como por exemplo no Canadá e EUA, provocando performances de jovens que cantam, dançam e "interagem" com os atores na tela durante a projeção.

No Brasil, estreou com atraso de 5 anos e não foi tão bem recebido. Na Inglaterra ficou em cartaz por quatro anos seguidos.

Em um cinema de Munique está em cartaz desde o seu lançamento, no recorde mundial de maior tempo de permanência. O filme passa na sessão da meia noite.

O cantor Mick Jagger queria interpretar o Dr. Frank-N-Furter, mas acabou perdendo o papel para Tim Curry.

Muitos dos efeitos especiais do filme são risíveis, mas o da decolagem do castelo se deu por falta de recursos é uma papelão na silhueta do castelo sendo içado.

O seriado americano "Glee" fez uma homenagem ao filme em um episódio de Halloween chamado "The Rocky Horror Glee Show". O episódio, o 5º da 2ª temporada, foi ao ar nos EUA no dia 26 de outubro de 2010, sendo dirigido por Adam Shankman.

Em 28 de Outubro de 2010, aconteceu uma apresentação para celebrar os 35 anos do filme, que reuniu vários atores de séries americanas.

Em 2011, Britney Spears lançou o videoclipe da sua música "Hold It Against Me" contendo cenas inspiradas no filme.

A série Cold Case (Arquivo Morto) exibiu um episódio (2ª temporada - Episódio 21: "Creatures Of The Night") que faz referências ao filme, inclusive tocando uma de suas canções ao final ("Over at the Frankenstein Place").



Antes do início do filme, um curta-metragem chamado Within the Woods foi exibido. O curta era na verdade um protótipo para o longa metragem cult The Evil Dead de Sam Raimi lançado em 1981.

No filme As Vantagens de Ser Invisível (aquele com a Hermione e o Percy Jackson) os protagonistas fazem parte da peça de teatro sobre The Rocky Horror Picture Show ao decorrer do longa.

A maioria dos atores não foram informados do cadáver de Eddie sob a toalha da mesa da sala de jantar. Quando foi revelado durante as filmagens, seus olhares de horror são genuínos.

Os anúncios para o lançamento original, em 1975, parodiaram o filme Tubarão "Eles mostravam lábios o vermelhos conrtra um plano de fundo preto e os dizeres:" O Rocky Horror Picture Show -. Um conjunto diferente de mandíbulas"

A boca no cartaz pertence a ex-modelo Lorelei Shark, cujos lábios (e mais tarde, o resto do seu rosto) ficaram posteriormente famosos ao serem usados em outdoors e anúncios de Chicago estação de rádio de rock WLUP ("The Loop").

Enquanto Brad e Janet dirigem na chuva antes de chegar ao castelo, o rádio toca o discurso de renúncia de Richard Nixon entregue 08 de agosto de 1974.